Tempo
|
A+ / A-

Utentes regressam a lar de Vila Real

16 abr, 2020 - 13:22 • Olímpia Mairos

Após a operação de desinfeção, levada a cabo pelo exército em parceria com outras entidades, e constituídas equipas de trabalho, estão reunidas as condições necessárias para o funcionamento da instituição, onde foram diagnosticados no final do mês passado perto de 100 pessoas, entre utentes e funcionários, com o novo coronavírus.

A+ / A-

O Lar Nossa Senhora das Dores, em Vila Real, vai regressando à normalidade, com a chegada faseada dos utentes ao edifício. “Os idosos estão a regressar aos poucos, à medida que forem testados como negativos da Covid-19”, esclarece Eugénio Varejão, presidente do conselho de administração do lar.

Os idosos e funcionárias foram retirados do lar na noite de 27 para 28 de março, depois de terem sido detetadas 88 infeções por Covid-19: 68 utentes e 20 funcionárias utentes com Covid-19. Neste espaço de tempo, morreram nove idosos, oito dos quais devido ao novo coronavírus.

O espaço foi descontaminado pelo exército, em parceria com outras entidades, e os primeiros quatro utentes, provenientes do CHTMAD e do Complexo de Neurointervenção, em Vila Nova de Gaia, chegaram ao lar na passada segunda-feira, a que se juntaram mais quarto, que se encontravam no Hospital da Trofa, na cidade de Vila Real, na terça-feira.

Esta quinta-feira, de acordo com a autarquia de Vila Real, serão transportados mais 18 utentes a partir do Hospital da Trofa.

O Lar Nossa Senhora das Dores, em Vila Real, vai funcionar em espelho, em turnos rotativos de 15 em 15 dias, e estão a ser “organizados percursos”, dentro do edifício, para garantir o afastamento e a segurança dos residentes.

A direção da instituição garante que “estão reunidas as condições para que o lar possa funcionar dentro da normalidade, com o apoio da Cruz Vermelha Portuguesa e do Instituto de Emprego e Formação Profissional”.

De referir que, nesta instituição, situada no centro da cidade de Vila Real, foram diagnosticados, no final do mês passado, perto de 100 pessoas, entre utentes e funcionários, com o novo Coronavírus.

Vila Real avança com rastreio a 279 utentes de lares do concelho

A Câmara Municipal de Vila Real arrancou esta quinta-feira com um programa de rastreio à Covid-19 nas estruturas residenciais para idosos e na Associação de Paralisia Cerebral do concelho.

De acordo com o presidente da Câmara de Vila Real, o rastreio é feito por um laboratório privado “devidamente credenciado” e conta com o apoio e acompanhamento do ACES Marão e Douro Norte, que “assegura a validade dos resultados obtidos”.

O município de Vila Real assume o custo dos testes, que serão efetuados com zaragatoa. Os resultados deverão ser conhecidos até ao próximo domingo.

A medida foi tomada devido à “especial vulnerabilidade das populações idosas à Covid-19” e será implementada nas estruturas residenciais do concelho, com protocolos estabelecidos com a Segurança Social.

Entre hoje e amanhã serão testados todos os utentes do Centro Social e Paroquial (CSP) da Campeã, CSP de Mateus, CSP de São Tomé do Castelo, CSP de Santo António, Lar da Imaculada Conceição da Santa Casa da Misericórdia, Associação Paz e Amizade, Lar de Idosos de Lordelo e a Residência Dom Rodrigo. O rastreio inclui também os 14 utentes da Associação de Paralisia Cerebral (APC) de Vila Real. No total, segundo a autarquia, vão ser testados 279 utentes.

A autarquia vai também distribuir cerca de 65 mil máscaras às instituições particulares de solidariedade social do concelho, nomeadamente lares, centros de dia e serviços de apoio domiciliário.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+