Tempo
|
A+ / A-

​Coronavírus. Estrangeiros que regressem a Bragança ficam em quarentena

20 mar, 2020 - 08:28 • Olímpia Mairos

A medida foi determinada pela autoridade de saúde de Bragança que defende “contenção máxima de possível risco de contágio”.

A+ / A-

A autoridade de saúde da Unidade Local de Saúde do Nordeste determinou que todos os cidadãos que regressem ao distrito do estrangeiro se mantenham em isolamento profilático pelo período de 14 dias a contar do dia de chegada.

A medida foi tomada depois de ter sido conhecido o caso de um emigrante no concelho de Macedo de Cavaleiros que testou positivo para a Covid-19.

“Urge que sejam tomadas medidas para contenção máxima de possível risco de contágio, implementando mecanismos de resposta rápida, determina que todos os cidadãos que regressem do estrangeiro permaneçam em isolamento profilático pelo período de catorze dias a contar do dia da chegada”, lê-se no despacho coordenadora da Unidade de Saúde Pública, Inácia Rosa, enviado a todas as autarquias

Também a Comissão Distrital de Proteção Civil está preocupada com esta situação e pede à população do distrito que “identifique emigrantes ou trabalhadores temporários que regressem ao país e que informem os presidentes de junta de freguesia ou as autoridades policiais locais do seu regresso, evitando assim a proliferação do vírus em causa”.

O regresso de emigrantes, mas sobretudo dos que residem em outras zonas de Portugal às aldeias do Nordeste Transmontano é a principal preocupação das autoridades locais, como já tinha manifestado, na quinta-feira, o presidente da Comissão Distrital de Proteção Civil, Francisco Guimarães.

“Nas aldeias a população é idosa, já somos tão poucos que, se não houver cuidado por parte dos que estão a regressar, isto é para dizimar tudo”, entende o autarca.

Desde segunda-feira tem-se verificado a chegada de um grande número de emigrantes, que regressam ao país porque as empresas estão a fechar, nomeadamente em França.

Autoridades pedem Exército nas fronteiras do distrito

Os presidentes das câmaras do distrito de Bragança, GNR, PSP, SEF, Direcção-Geral de Saúde e a Segurança Social apelaram ao Governo, esta quinta-feira, que reforce a vigilância nas fronteiras da região com Espanha.

Na base do pedido está “o evoluir da situação epidemiológica da COVID-19 a nível mundial e a declaração do Estado de Emergência pelo Governo de Portugal”.

De acordo com um comunicado da Comissão Distrital de Proteção Civil, foi proposto ao Governo o reforço da vigilância das fronteiras de passagem, designadamente com recurso ao Exército Português, e a implementação do controlo sanitário nas mesmas”.

O distrito de Bragança tem apenas um ponto de passagem na fronteira de Quintanilha, em Bragança, onde estão as forças de segurança, mas não é feito qualquer teste de saúde a quem entra no país.

No distrito de Bragança foi também constituída uma subcomissão distrital para monitorização diária permanente, com sede nas instalações do Centro Distrital de Operações de Socorro de Bragança.

Coronavírus. Como lavar as mãos para evitar contágios, em 10 passos
Coronavírus. Como lavar as mãos para evitar contágios, em 10 passos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+