Tempo
|
A+ / A-

​Associação Salvador desafiou primeiro-ministro e deputados para treino de 'crossability'

07 jun, 2019 - 00:45 • Redação, com Lusa

Para comemorar o primeiro aniversário da aplicação "+Acesso Para Todos" foi lançada uma campanha para demonstrar as dificuldades que uma pessoa em cadeira de rodas enfrenta todos os dias devido à falta de acessibilidades.

A+ / A-

A Associação Salvador realizou esta quinta-feira, um treino de 'crossability', em frente à Assembleia da República, desafiando o "primeiro-ministro e os representantes dos diferentes partidos políticos para o treino mais duro de sempre".

A associação, fundada em 2003, promove a integração de pessoas com deficiência motora na sociedade, criando iniciativas que melhorem a sua qualidade de vida.

Para comemorar o primeiro aniversário da aplicação "+Acesso Para Todos" foi lançada esta campanha que pretende "demonstrar as dificuldades que uma pessoa em cadeira de rodas enfrenta todos os dias devido à falta de acessibilidades", explica a Associação Salvador.

O primeiro-ministro, António Costa, e os deputados dos vários partidos foram convidados para um “treino especial”, que consistia em tentar descer a escadaria em frente à Assembleia da República na pele de uma pessoa em cadeira de rodas ou enfrentar balcões de atendimento elevados.

Salvador Mendes de Almeida, o fundador da associação, entregou a António Costa um dossier com 813 reclamações de pessoas com mobilidade limitada.

A Associação reforça que a aplicação "+Acesso para Todos" permite aos utilizadores denunciarem a falta de acessibilidades em todo o país e, desde maio do ano passado, foram feitas "mais de 3.205 avaliações e 813 reclamações".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+