Tempo
|
A+ / A-

Barragem do Pisão. "Construam-me, caramba", pede autarca de Nisa

25 mar, 2019 - 07:11 • Susana Madureira Martins com Redação

Idalina Trindade aproveitou a abertura das jornadas parlamentares do PS em Portalegre para fazer um derradeiro apelo aos deputados.

A+ / A-

"Construam-me, caramba", é o desabafo da presidente da câmara de Nisa que desespera pela construção da prometida barragem do Pisão.

Perante as promessas de sucessivos governos, Idalina Trindade aproveitou a abertura das jornadas parlamentares do PS em Portalegre para fazer um derradeiro apelo aos deputados.

"Há 50 anos que se fala dela, já chega. Ou façam ou que se calem para sempre. Se a barragem do Pisão falasse diria: 'construam-me, caramba'", disse Idalina Trindade a fazer lembrar o que dizia há muitos anos a inscrição num muro em Alqueva, em que também se desesperava pela construção de uma barragem.

A presidente da câmara de Nisa não se limitou a pedir uma barragem, quer também uma ponte que ligue a vila à Extremadura espanhola. E lá saiu mais um desabafo: "Falta-nos uma ponte para unir pessoas, economias, lugares e para unir culturas. Cada vez que se realiza a cimeira ibérica, eu insisto em colocar o tema na agenda do Governo português e nada. Se a desejada ponte hispano-lusa que irá ligar Nisa à Extremadura espanhola falasse - tal como a barragem do Pisão - ela diria igualmente 'construam-me, caramba'".

Perante deputados do PS e o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, a autarca deixou lembrou ainda que Portalegre permanece a única capital de distrito sem acesso direto à autoestrada.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+