Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Enfermeiros em protesto em Belém esperam participação de cidadãos

19 mai, 2018 - 11:14

Profissionais estão em luta contra a degradação dos cuidados de Saúde e do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

A+ / A-

Os enfermeiros vão manifestar-se, este sábado, junto ao Palácio de Belém, em Lisboa, num "movimento espontâneo de profissionais” que pretende protestar pela dignidade da profissão e contra a degradação dos cuidados de saúde.

O protesto é apoiado pela Ordem dos Enfermeiros, que pede “a todos os portugueses” que se juntem à concentração marcada para as 11h00 junto ao Palácio de Belém.

A iniciativa partiu do Movimento Nacional de Enfermeiros, que se assume como “um grupo espontâneo, desligado de qualquer ideologia político-partidária, completamente independente de estruturas sindicais”.

Em comunicado divulgado na véspera da concentração, a bastonária dos Enfermeiros veio sublinhar que “esta não é uma luta só dos enfermeiros”.

“É uma luta de todos, porque a luta é contra a degradação dos cuidados de Saúde e do Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, defendeu Ana Rita Cavaco.

A Ordem recorda que o que está em causa na luta dos enfermeiros “não é apenas uma questão da carreira dos profissionais”, mas uma questão de “dignidade na Saúde”.

Ordem invoca que “continuam a faltar 30 mil enfermeiros” para as necessidades do sistema. Ana Rita Cavaco refere mesmo que o atual número de profissionais contratados em Portugal “põe em causa a vida de todos”.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cristovao
    19 mai, 2018 lisboa 13:53
    Olhem para o sistema se saúde em 1979 e comparem com o atual,comparem rácios médicos população.enfermagem/ assistentes operacionais população,comparem vecimentos nivelde vida,organizaçao e governança entre eles Reino Unido q tem hospitais/centros saude públicos e privados,situaçao financeira Pais,%PIB possível etc.EStamos mto melhor garantidamente embora desfasados em tecnologia de ponta,robotizaçao,esforço do PIB etc.O Pais tem a maior divida de sempre 250 biliões e não pode esticar-se ,portanto acomodem-se todos refilem mas não há guito para ninguém ou entraremos noutro desastre de super bancarrota aberrante e o ESTADO abrirá falência/insolvência com perda dos certificados de aforro ,certificados do tesouro,poupanças nos bancos etc .Tenham juízo não qerem trabalhar nestes condicionamentos reais a eles não são obrigados emigrem e verão como se trabalha nos países recetores médicos/enfermeiros.Com a economia a desacelerar é tempo de contenção ou NOVOS E COLOSSAIS CORTES .Isto é a realidade o resta é demagogia.

Destaques V+