Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Polémica sobre IVA para touradas traz "pouca angústia" e "não fragiliza", diz ministra

19 nov, 2018 - 15:50

Ministra da Cultura defende que tudo "faz parte da forma como as polémicas se geram hoje em dia nas sociedades modernas".

A+ / A-

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, afirmou esta segunda-feira à agência Lusa que olha "com pouca angústia" para a polémica em torno do IVA sobre a tauromaquia e que, enquanto titular da pasta, "não há fragilidade" sobre a matéria.

"Faz parte da forma como as polémicas se geram hoje em dia nas sociedades modernas. Olho para isso com pouca angústia. Não é um tema que me angustie, na perspetiva de hoje em dia vivermos todos muito das polémicas que duram uma semana, duas semanas, três semanas. Vamos ver. E com isto não estou a desvalorizar a questão nuclear", disse.

Graça Fonseca falava à agência Lusa dias depois de o grupo parlamentar do PS ter apresentado uma proposta de descida do IVA para os espetáculos tauromáquicos de 13% para 6%, que contraria a posição do Governo, expressa em Orçamento do Estado (OE) para 2019 (OE2019), de manutenção da referida taxa.

A polémica vem desde o passado dia 30 de outubro, quando, no debate do OE2019, na generalidade, e questionada pelo CDS-PP, a ministra da Cultura rejeitou qualquer descida do IVA para a tauromaquia, justificando tratar-se de uma questão de "civilização".

Seguiram-se declarações de protesto, nomeadamente de Manuel Alegre e da Federação Portuguesa de Tauromaquia, mas também de defesa das declarações da ministra, e a discussão acabou por originar uma divergência de posições entre o grupo parlamentar do PS e o Governo.

Graça Fonseca, ministra da Cultura desde 15 de outubro, rejeita ter saído fragilizada deste assunto, escudando-se na posição do Governo: "Eu acredito mesmo, e isto é uma posição do Governo, que naturalmente qualquer política pública tem na sua base um conjunto de valores ideológicos, é assim que a História demonstra que é. Por isso é que, ao longo dos anos, as políticas públicas foram evoluindo".

Com a votação final global do Orçamento do Estado para 2019 agendada para o próximo dia 29, a ministra da Cultura recorda que, perante uma divergência destas, "o parlamento será soberano". "É o que o Parlamento decidir", afirmou.

"Quem faz serviço público, no meu caso há vinte anos, é assim. Teremos sempre momentos em que há confrontos, ou há - uma palavra que prefiro - diferendo. (...) O papel que o membro do Governo desempenha é procurar encontrar formas de fazer a 'quadratura do círculo'. (...) Não há fragilidade. É a ação que o membro do Governo deve ter", resumiu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • lua
    20 nov, 2018 ovar 16:02
    Mas que Políticos temos (PS): IVA touradas = 16% e querem 6%!!! IVA para certos cremes que são imprescindíveis para quem sofre por exemplo Psoríase = 23%; será que é uma doença de ricos. Onde ficam os mais pobres. Onde está o Bloco de Esquerda e PAN e outros..... Mas que corja se políticos. Tenho vergonha de ser Portugues
  • fanã
    19 nov, 2018 aveiro 17:45
    Reitero o meu TOTAL Apoio a Sra. Ministra, por não favorizar tal evento Sádico e Bárbaro !!!!!!
  • VICTOR MARQUES
    19 nov, 2018 Matosinhos 16:18
    Trálarará!!! Mas que grande tourada!!!...

Destaques V+