Tempo
|
A+ / A-

25 de Abril

São Bento e Belém de portas abertas para comemorar os 43 anos da revolução

25 abr, 2017 - 09:44

Sá Carneiro, Vhils e Siza Vieira são as estrelas do dia em que se assinala o aniversário do 25 de Abril. Confira aqui o programa das comemorações.

A+ / A-

Os 43 anos da Revolução dos Cravos são comemorados esta terça-feira com a sessão solene no parlamento e o tradicional desfile popular, tendo o Presidente da República escolhido o 25 de Abril para condecorar, a título póstumo, Francisco Sá Carneiro.

A partir das 10h00, na Assembleia da República, decorre a sessão solene do 43.º aniversário do 25 de Abril, que contará com intervenções de todos os partidos com assento parlamentar, do presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues e do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, estando ainda presente o primeiro-ministro, António Costa.

O PSD escolheu a deputada e candidata à Câmara de Lisboa, Teresa Leal Coelho, para fazer a intervenção do partido, enquanto pelo PS será Alberto Martins a intervir. Pelo BE fala Joana Mortágua, pelo CDS-PP Isabel Galriça Neto e pelo PCP Jorge Machado. Heloísa Apolónia fará a intervenção do PEV e o André Silva do PAN.

Depois de sair do parlamento, Marcelo Rebelo de Sousa vai para o Palácio de Belém, que estará aberto ao público e onde decorrerá pelas 14h00, a cerimónia de agraciamento, a título póstumo, do antigo primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro e do antigo bispo do Porto António Ferreira Gomes.

Na mesma cerimónia, o arquitecto Siza Vieira recebe das mãos do Presidente da República a Grã-Cruz da Ordem da Instrução Pública.

O tradicional desfile popular do 25 de Abril está marcado para as 15h00, na Avenida da Liberdade, em Lisboa, contando com a presença dos líderes partidários do BE e do PCP, Catarina Martins e Jerónimo de Sousa, respectivamente, e de uma comitiva do PS com a secretária-geral adjunta Ana Catarina Mendes, o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos, e o dirigente nacional Porfírio Silva.

O primeiro-ministro António Costa vai prosseguir com as comemorações do Dia da Liberdade à tarde, voltando a abrir aos cidadãos, a partir das 14h30, os jardins da residência oficial, onde haverá um concerto de Jorge Palma e a leitura de poemas pelo ex-candidato presidencial Manuel Alegre.

Pelos jardins de São Bento vão também passar vários membros do Governo, em particular o ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, sendo ainda inaugurada uma escultura de Vhils, que invoca os princípios da revolução.

No parlamento, às 15h00, é inaugurada a exposição "José Afonso - andarilho, poeta e cantor", que assinala os 30 anos da morte do músico, estando as portas da Assembleia da República abertas ao público, que poderá visitar os espaços mais emblemáticos, mas também algumas salas de acesso habitualmente reservado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Emilia Guerreiro
    25 abr, 2017 Gondomar 14:50
    Abram as portas, mas com refeições e apoio psicológico.Muitos Portugueses precisam de apoio.Dar-lhes um guia para se defenderem dos roubos dos bancos,distribuidores de luz,agua,telecomunicações e do próprio governo nas injustiças nos impostos.Agora ver palácios ainda os deixa mais revoltados.
  • José António Raposo
    25 abr, 2017 Castelo de Vide 13:49
    O Sapo importante página da Internet que sigo regularmente,, continua infelizmente dando exemplos de má consciência política dos seus administradores e a defende uma democracia enviesada, escondendo vergonhosamente tudo o que venda do Partido Comunista Português. Hoje dia 25 de Abril, na sua página principal apresenta como Orgãos principais, o PR, o BE, o PAN e o PS com a ajuda de António Barreto, essa figura execranda que a mando de Mário Soares, extinguiu uma das maiores conquistas da Revolução de Abril, a Reforma Agrária. Sobre a intervenção do PCP e dos Verdes, nem uma palavra. Para o SAPO, estes Partidos não existem. Porque será? Alguém desta importante página me pode explicar ou corrigir eventuais erros que tenha cometido. Antecipadamente agradecido. José António Martins Raposo

Destaques V+