Tempo
|
A+ / A-

Ferro Rodrigues recebe petição contra a eutanásia na quarta-feira

23 jan, 2017 - 15:22 • Filipe d'Avillez

A nova petição, que recolheu mais de 14 mil assinaturas, surge a dias de se discutir outra, pela despenalização da eutanásia, que recolheu 8.300.

A+ / A-

O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, recebe em audiência os proponentes da petição contra a eutanásia “Toda a Vida tem Dignidade”, na quarta-feira.

A petição recolheu mais de 14 mil assinaturas, cerca de três vezes mais do que o mínimo necessário para ser discutido no Parlamento.

Os promotores da iniciativa dizem, em comunicado divulgado esta segunda-feira, que “o debate sobre a eutanásia, introduzido nos últimos tempos, exige uma resposta humanista às questões do homem no presente e a reafirmação clara de que a Sociedade e o Estado têm o dever do proteger Toda a vida humana. Porque ‘Toda a vida tem dignidade’”.

O actual debate sobre a eutanásia surgiu depois da publicação de um manifesto, assinado por várias figuras públicas, e uma petição que foi assinado, ao todo, por cerca de 8.300 pessoas.

A petição pela despenalização da eutanásia foi entregue no Parlamento e será discutido no dia 1 de Fevereiro.

A nova petição, de sentido contrário, será enviada para as Comissões de Direitos, Liberdades e Garantias, e da Saúde, onde será discutido, e mais tarde irá a plenário.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • João Lopes
    23 jan, 2017 Viseu 19:27
    A eutanásia e o suicídio assistido são diferentes formas de matar. Os médicos existem para defender a vida, não para matar nem serem cúmplices do crime de outros.

Destaques V+