Tempo
|
A+ / A-

​Governo lança campanha contra mutilação genital feminina

20 jul, 2016 - 12:40

Em Portugal, autoridades estimam que há 6.500 mulheres e meninas com mais de 15 anos que foram mutiladas.

A+ / A-
Mutilação genital feminina. Portugal é um país de risco
Mutilação genital feminina. Portugal é um país de risco

Foi lançada esta quarta-feira em Lisboa a campanha “Direito a viver sem mutilação genital”, que pretende prestar informação sobre as consequências desta prática.

A campanha decorre até Setembro nos aeroportos nacionais, num período considerado de maior risco.

“É uma altura do ano em que as crianças e as famílias vão de férias aos seus países de origem e sabemos que, nos países onde há prática da mutilação genital feminina, são períodos de maior risco para as meninas”, explicou à Renascença a secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Catarina Marcelino.

Catarina Marcelino alerta também para o facto de as jovens e mulheres correrem risco também cá em Portugal.

“Números estimados em Portugal referem que há 6.500 mulheres e meninas com mais de 15 anos que foram mutiladas e também temos dados dos registos do Serviço Nacional de Saúde: entre Março de 2014 e Abril de 2016, 136 mulheres com mais de 15 anos que foram mutiladas”, especificou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+