Tempo
|
A+ / A-

Taxistas manifestam-se contra Uber no aeroporto de Lisboa

24 fev, 2016 - 15:58

Cerca de 200 carros pararam em protesto nas imediações do aeroporto da Portela depois de um incidente que terá envolvido um motorista da Uber. Representantes dos taxistas seguiram para a residência oficial do primeiro-ministro e receberam a promessa de uma reunião ainda este semana.

A+ / A-
Manifestação no aeroporto. Taxista denuncia motorista da Uber e acaba multado
Manifestação no aeroporto. Taxista denuncia motorista da Uber e acaba multado

Veja também:


Um manifestação espontânea de taxistas perturbou, esta quarta-feira à tarde, o funcionamento do aeroporto de Lisboa. O protesto foi desconvocado horas depois, quando os representantes da classe receberam a garantia de que vão ser recebidos pelo Governo.

Em declarações à Renascença ao início da tarde, o presidente da Federação Portuguesa dos Táxis (FPT), Carlos Ramos, revelava que a situação estava "complicada" no aeroporto. Cerca de 200 viaturas participaram no protesto, que chegou a dificultar o trânsito.

“Os carros estão parados nos parques do aeroporto, em frente à praça de chegadas não há colega nenhum a recolher passageiros. Os colegas estão revoltados e estão à espera que haja uma resposta clara e definitiva em relação a este tipo de transportes clandestinos onde se inclui a Uber", explicou Carlos Ramos.

"Há colegas nossos que estão a perder a paciência e a calma. A polícia não consegue controlar a situação", advertiu o responsável. Os taxistas exigem "alguém" que dê de imediato "uma resposta satisfatória em relação à Uber".

De acordo com Carlos Ramos, a manifestação foi instigada por um incidente entre um motorista de táxi e um agente da autoridade. "Isto aconteceu porque um colega nosso pediu a presença da autoridade para identificar um carro da Uber, e a autoridade, em vez de o identificar, multou o nosso colega". "Isto não faz sentido", lamenta.

Diogo Santos, o taxista que chamou a polícia, descreve o sucedido: "Pedi ao agente de autoridade para identificar o motorista da Uber. Um dos agentes dirigiu-se ao motorista da Uber e outro dos agentes pediu-me os meus documentos e os documentos da viatura; autuou-me em 60 euros por eu ter parado o meu carro em frente ao carro da Uber, dificultando a saída.”

"A própria ANA sentiu necessidade de reunir connosco porque isto está a prejudicar a própria imagem do aeroporto", acrescentou.

Os dirigentes da FPT e da ANTRAL (Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros), foram recebidos por um representante da ANA - Aeroportos de Portugal pelas 16h00. Contactado pela Renascença, um porta-voz da ANA confirmou que um dos administradores da empresa falou com representantes dos taxistas, mas apenas para se inteirar do problema, reforçando que esta é uma questão política que não cabe à ANA resolver.

Quando saíram da reunião, os representantes dos taxistas seguiram para a residência oficial do primeiro-ministro. Não conseguiram ser ouvidos por António Costa, mas receberam a garantia de que serão recebidos ainda esta semana.

Diferendo com a Uber há cerca de um ano

Nas declarações feitas à Renascença, Carlos Ramos lembra que "há um ano que andamos a tratar deste problema, para pôr cobro a esta situação".

"O IMT reconhece que, de facto, esta empresa não pode exercer actividade, não se enquadra na legislação portuguesa, mas nada faz. A polícia do aeroporto diz que tem 200 e poucos autos efectuados mas o IMT não lhes dá resposta de execução desses autos", descreve.

"Neste momento precisamos de ter uma resposta clara e satisfatória no sentido de travar esta situação", rematou.

A FPT refere que a PSP está a anotar as matrículas dos táxis parados fora das praças.

A empresa que gere o serviço Uber em Portugal considera que os taxistas, que protestaram no aeroporto de Lisboa, têm direito a manifestar-se de forma pacífica e mostrou-se disponível para dialogar com os operadores no sector da mobilidade.

Governo pediu informação a Bruxelas

O Governo diz que discutiu este mês o assunto da Uber com as duas associações representativas do sector dos Táxis. Revela que pediu informação à Comissão Europeia sobre o tema para a adopção de uma decisão comum.

Em comunicado, o secretário de Estado adjunto e do Ambiente, José Mendes, explica que na reunião foram debatidos vários aspectos relevantes em ambiente de “franca colaboração” e com “abertura de todas as partes para o diálogo” e para o desenho de medidas concretas que contribuam para o desenvolvimento deste importante sector.

A Secretaria de Estado afirma que foi consensual a ideia “que o serviço de táxis é uma componente essencial da mobilidade nas cidades, e fora delas, e que é fundamental juntar esforços para a melhoria contínua dos serviços prestados por aqueles profissionais”.

O Governo afirma também que “o tema da plataforma UBER foi também discutido” e que “é conhecida a posição do IMT nesta matéria”.

O gabinete do secretário de Estado adjunto e do Ambiente revela que “já solicitou informação à Comissão Europeia sobre os desenvolvimentos que estão em curso, bem como sobre a existência de uma estratégia comum, que permita uma articulação das posições dos diversos Estados Membros”, sobre esta questão espoletada pela plataforma de transportes Uber.

[notícia actualizada às 17h51]

Uber vs táxis. A polémica vista por especialistas
Uber vs táxis. A polémica vista por especialistas (programa Em Nome da Lei, 31 de Outubro de 2015)
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • BRITO
    27 fev, 2016 Lisboa 15:57
    Os Srs taxistas se querem respeito em primeiro lugar têm que se dar-se ao respeito, isto é; atender bem os clientes, ter os táxis LIMPOS, estarem apresentáveis, não todos sujos barba por fazer, muitos deles a cheirarem mal, não ter o rádios alto com musica que ninguém gosta. Eu em particular quando chego ao aeroporto de LX tenho sem o mesmo problema, ou seja como moro relativamente perto tenho sempre o taxista a resmungar e a dizer que assim com consegue ganhar dinheiro pois o valor da corrida é baixo e passa horas na fila para ganhar uns míseros euros. A concorrência não faz mal em termos de negocio, mas o problema aqui é efetivamente outro, EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO os taxista não são pessoas educadas por característica, pois desse modo talvez fosse bom dar alguma formação a essa gente, CIVISMO, COM SE VESTIR E COMPORTAR, EDUCAÇÃO BASICA DE COMO ATENDER OS CLIENTES. Não nos podemos esquecer de que quando chega o digo VISITANTE a Portugal, as primeiras pessoas que contactam são os taxistas seria bom pensar nisso. A ASEA faz tantas e tantas fiscalizações, que a meu ver são bastante benéficas, seria bom também que fiscalizar as TAXISTA. Um dia cheguei ao aeroporto de Lisboa e fui apanhar um táxi para a fila das chegadas, o táxi que tinha calhado estava num estado lastimável de limpeza exterior e interior, recusei-me a entrar eu e todas as pessoas e disseram-me que não podia fazer, tem graça sou que pago e não tenho alternativa. atras estava um táxi novo e limpo.
  • Marcelino de araujo
    25 fev, 2016 França 07:01
    Força colegas de lisboa estamos todos com vocês compreendemos os vossos problemas aqui en frança é a mesma coisa e isto tem que ser resolvido a nivel mundial
  • Pinto
    24 fev, 2016 Custoias 23:28
    As pessoas têm o direito a escolher o melhor para elas, ou agora tudo é obrigatório neste país?
  • Fernando Morais
    24 fev, 2016 Lisboa 22:51
    Aquilo que a maior parte das pessoas comentam aqui é verdade, infelizmente! Já passei por algumas situações com taxistas incómodas e só chego a uma conclusão, esta gente não tem educação nem formação para receberem os clientes!!! Num dos episódios, eu e a minha esposa apanhamos um táxi para uma certa Avenida no Hotel que estávamos hospedados e quando chegamos, perguntamos quanto era o que este taxista nos apresentou a conta de 7.00 Euros o qual a minha esposa, não tendo mais dinheiro trocado deu-lhe 20.00 Euros o que este senhor, arrogantemente, nos disse: "não tenho troco! vão arranja-lo!" E, eu, como não gosto de problemas, disse à minha esposa para ir à recepção do Hotel para ver se arranjava dinheiro trocado enquanto fiquei com aquela besta no carro... Como podem estes arrogantes virem agora fazer exigências para que acabem com um serviço de gente educada e bem formada??? Esta classe de taxistas sempre foi e continua a ser gente estúpida sem respeitarem o cliente e como alguns dizem aqui e dizem muito bem! Esta gente não é séria...
  • Pinto
    24 fev, 2016 Custoias 21:51
    Os taxistas podem ser muito sérios, mas a mim já me burlaram de várias formas.
  • Julio
    24 fev, 2016 Lisboa 20:50
    Venha a Uber. Ao menos seremos conduzidos por pessoas com civismo e educação, coisas desconhecidas pela generalidade dos taxistas.
  • João
    24 fev, 2016 Paço de Arcos 20:32
    Temos aqui um comentário que é só pra rir. Não só porque é o único que aparece a defender os taxistas como chama descaradamente estúpidos aos intervenientes neste caso. Ele deve ser um dos patrões dos taxistas. Na verdade não são os "taxistas" que enfrentam burocracia, etc . e tal. Qualquer actividade empresarial tem de seguir regras, boas ou más não é isso que está em causa. O Sr. Paulo se quer entender melhor "o íntimo de cada um" entenda primeiro o íntimo dos taxistas porque é disso que estamos a falar. Infelizmente a população portuguesa conhece esta "classe" , sem classe . E atribuir a responsabilidade deste caso aos políticos é mesmo uma parvoíce a não ser que o senhor se refira ao facto de o governo legislar ,exigindo condições mínimas para o exercício da profissão .Só saber conduzir não chega e até que esta regra nem sequer é , normalmente, cumprida pelos senhores "profissionais". Por outro lado, há que exigir uma maior fiscalização junto deles para evitar os abusos de aldrabarem os clientes. Esqueci um pormenor num comentário anterior, na semana passada com uns familiares no trajecto Aeroporto -Estação Oriente cobrou 25 euros, mas como "não tinha troco" ficou com mais 5 euros, ou seja 30 e nem passou factura. Mas como este exemplo não é virgem, não se podem queixar.
  • adriana carvalho
    24 fev, 2016 odivelas 19:22
    É uma vergonha que uns tenham de pagar todos os impostos, que custam uma fortuna para estarem legalizados e outros andam de qualquer forma nao pagam nada! e nada acontece, se pegassem fogo a uns tantos Uber, como fizeram no mexico acabava logo a vigarice da Uber!
  • Irene Jesus
    24 fev, 2016 Almada 19:03
    Á UBER devem ser exigidos todos os requisitos que são exigidos aos taxistas.A esperteza da UBER consiste em fazer preços de saldo, no inicio da sua implantação até matar a concorrência e quando estiver sozinha no mercado logo apresentará a factura.É o que aconteceu nos Estados Unidos e o que acontecerá noutros locais.
  • Fernando Santos
    24 fev, 2016 Figueira da foz 18:57
    Senhores taxistas, preocupen-se em prestar um bom serviço. Sejam educados, limpos, honestos e tudo o que sirva para que os utentes vos procurem. Por mim enquanto não vir mudanças vou continuar a usar a Uber.

Destaques V+