Tempo
|
A+ / A-

Há cada vez mais denúncias de abandono e violência sobre idosos

17 ago, 2015 - 06:33

Em 2014, pediram ajuda à APAV mais 78 pessoas idosas, face ao ano anterior. Associação considera que o desemprego e a crise são factores que propiciam o fenómeno, que aumenta também no Verão e na época do Natal.

A+ / A-
Não pára de aumentar o número de denúncias sobre o abandono e violência sobre idosos. As contas e previsões são da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV).

“De 2000 a 2013, houve um aumento de cerca de 79%. Entre 2013 e 2014, um aumento de cerca de 10,1%. Tivemos, em 2013, 774 casos de pessoas idosas que recorreram a nós e passámos a ter, em 2014, 852 processos de apoio”, indica à Renascença Maria de Oliveira, técnica de direcção da APAV.

“Em 2015, achamos que está a seguir a tendência de aumento de situações de pessoas idosas vítimas de crime”, conclui.

A associação considera que o aumento do número de denúncias demonstra que a sociedade está mais atenta ao problema, que se torna mais grave em época de crise, em que as situações de desemprego se agudizam.

Mas também é verdade, de acordo com a mesma fonte, que o número de casos de abandono e violência sobre idosos aumenta nas férias do Verão, no Natal e na passagem de Ano.

Na semana passada, o Conselho de Ministros aprovou o diploma que prevê a criminalização do abandono de idosos – a Estratégia para o Idoso que, só, no entanto, vai ser votada na próxima legislatura.

A resolução aprovada no dia 13 prevê a repressão de todas as formas de violência, abuso, exploração ou discriminação e a criminalização do abandono de idosos.

Estão ainda previstas medidas de protecção jurídica às pessoas idosas e em situação de incapacidade, não permitindo que terceiros se aproveitem desta condição. Por exemplo, o alargamento da indignidade sucessória, não permitindo que nos casos em que o herdeiro pratique algum crime de violência doméstica ou maus-tratos, venha a receber a herança do idoso que maltratou.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+