Tempo
|
A+ / A-

Azeredo Lopes. Pacote de ajuda passou no Senado, mas "não há garantias de que passe na Câmara de Representantes"

13 fev, 2024 - 13:16 • Pedro Mesquita

Senado dos EUA aprova apoio à Ucrânia, mas a Câmara dos Representantes vai ter a última palavra.

A+ / A-

Com uma aparente intervenção de Donald Trump, nos bastidores, o Senado norte-americano aprovou um pacote de 88 mil milhões de euros para apoiar a Ucrânia, Israel e Taiwan.

Seja como for, esta decisão terá ainda de passar pela câmara dos representantes, onde os republicanos estão em maioria.

A decisão está ainda em aberto, num puzzle muito complexo, em que Trump também participa, explica à Renascença Azeredo Lopes, professor de Direito Internacional na Universidade Católica.

"Passou no Senado, não há garantias de que passe na Câmara de Representantes. Porquê? Porque estas medidas estavam associadas a algo que era uma reivindicação muito antiga dos republicanos: fazerem com que a administração Biden aceitasse medidas mais restritivas sobre a emigração", começa por dizer o especialista.

"A administração Biden, de repente, aceita e é Trump que, de fora, dá ordens para dizer que não quer que se aprove legislação desta. Portanto, temos uma situação extraordinária em que republicanos tinham o que queriam, mas agora já não querem. E os democratas se arriscam a conseguir aquilo que queriam, sem terem de ceder especialmente", explica Azeredo Lopes.

Assim, a grande dúvida, diz à Renascença, é aquilo que vai acontecer na Câmara dos representantes onde os Republicanos ainda continuam a ter maioria.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+