Siga-nos no Whatsapp
A+ / A-

Kremlin acusa Estados Unidos de "interferência inaceitável" no caso Navalny

12 dez, 2023 - 11:50 • Redação com Lusa

"Para começar, nunca deveria ter sido preso". Washington revela estar "muito preocupado" com o paradeiro do opositor ao regime russo, desaparecido há uma semana.

A+ / A-

O Kremlin acusou esta terça-feira os Estados Unidos de "interferência inaceitável" no caso Alexei Navalny, após Washington ter demonstrado preocupação com o facto de os familiares não terem notícias do opositor russo preso há uma semana.

"Este é um prisioneiro que foi considerado culpado e que está a cumprir a pena que recebeu. Consideramos que qualquer interferência, especialmente dos Estados Unidos, é inaceitável", declarou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

Os apoiantes de Navalny alegam tentar contactá-lo em vão há quase uma semana e não sabem do paradeiro do principal opositor ao regime russo.

Washington reagiu ao caso e diz estar "muito preocupado" com a falta de informação sobre o paradeiro de Navalny, apelando mais uma vez à libertação imediata de Alexei Navalny.

"Para começar, nunca deveria ter sido preso", disse o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos EUA, John Kirby, acrescentando que as autoridades norte-americanas estavam a procurar saber mais sobre o caso.

Para quem é próximo de Navalny, o destino do opositor é decidido diretamente pela Presidência russa. O opositor acusa o Kremlin de ter ordenado o envenenamento que sofreu em 2020.

A porta-voz de Navalny, Kira Iarmich, declarou esta terça-feira que um funcionário de uma das prisões onde o opositor esteve detido disse que iria deixar "a colónia penal", sem mais explicações sobre o local onde seria transferido.

Condenado em agosto a uma pena de prisão de 19 anos por "extremismo", presume-se que Navalny seja enviado para uma colónia penal com um "regime especial".

Esta categoria de estabelecimentos é conhecida por ter as condições de detenção mais duras do sistema prisional russo e está frequentemente localizada em regiões muito isoladas.

Note-se que as transferências de uma colónia penal para outra na Rússia geralmente levam várias semanas de viagem de comboio e os familiares dos detidos podem permanecer sem informações por longos períodos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+