Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Guerra Israel/Hamas

Destruição de casas em Gaza constitui crime de guerra, diz relator da ONU

08 nov, 2023 - 15:48 • Lusa

Bombardeamentos sistemáticos são "estritamente proibidos" pelo Direito Internacional Humanitário, destaca relator das Nações Unidas para o Direito à Habitação Adequada.

A+ / A-

O relator especial da ONU Balakrishnan Rajagopal afirmou esta quarta-feira que 45% das habitações em Gaza foram destruídas por bombardeamentos israelitas, o que pode constituir um crime de guerra.

Segundo o relator para o Direito à Habitação Adequada, lançar ataques "sabendo que irão destruir e danificar sistematicamente casas e infraestruturas civis, tornando uma cidade inteira inabitável para civis, é um crime de guerra".

O especialista destacou ainda que quando estes ataques são dirigidos contra a população civil também constituem "crimes contra a humanidade" e acrescentou ainda que estes bombardeamentos sistemáticos são "estritamente proibidos" pelo Direito Internacional Humanitário.

Neste sentido, Rajagopal lembrou que locais como apartamentos, hospitais, campos de refugiados, escolas ou igrejas não são objetivos militares.

O especialista disse que, segundo o direito internacional, mesmo que as casas de civis sejam utilizadas por combatentes, no caso de Gaza pelo movimento islamita Hamas, é proibido lançar ataques se causarem "danos desproporcionais, morte e deslocamento de um grande número de civis".

Num relatório recente apresentado à Assembleia Geral das Nações Unidas, o especialista referiu-se a estes ataques como "domicídios" e denunciou que o mundo continua a assistir "impotente" à violação das normas básicas do direito humanitário internacional e dos direitos humanos.

Por isso, Rajagopal pediu à comunidade internacional e às partes combatentes que ponham fim a estes ataques "horríveis e maciços" com um "custo tremendo" nas vidas humanas.

"Nenhum direito à legítima defesa ao abrigo do direito internacional pode justificar tais ataques", concluiu.

O conflito, que teve início a 07 de outubro com o ataque surpresa do grupo islamita Hamas contra o sul de Israel, que levou Israel a declarar guerra ao Hamas, que controla a Faixa de Gaza desde 2007, bombardeando várias infraestruturas do grupo na Faixa de Gaza e impôs um cerco total ao território com corte de abastecimento de água, combustível e eletricidade.

O conflito já provocou milhares de mortos e feridos, entre militares e civis, nos dois territórios.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+