Tempo
|
A+ / A-

Guerra no Médio Oriente

Centenas de detidos em protesto de judeus no Capitólio por cessar-fogo em Gaza

19 out, 2023 - 11:52 • Joana Azevedo Viana

O protesto foi organizado pelo Jewish Voice for Peace e a If Not Now, duas organizações judaicas sediadas nos EUA muito críticas da ocupação da Palestina por Israel.

A+ / A-

Pelo menos 300 pessoas foram detidas na quarta-feira durante um protesto de judeus norte-americanos no Capitólio exigindo um cessar-fogo em Gaza e condenando Israel pelo "potencial genocídio" de palestinianos no enclave. O número de detidos foi avançado esta quinta-feira pelo jornal Times of Israel.

O protesto foi organizado pelo Jewish Voice for Peace e a If Not Now, duas organizações judaicas sediadas nos EUA muito críticas da ocupação da Palestina por Israel, e terá atraído cerca de 10 mil manifestantes para o edifício do Congresso, dizem os organizadores.

A manifestação teve lugar no dia em que o Presidente dos EUA, Joe Biden, chegou a Israel numa demonstração de apoio ao Estado hebraico e para tentar negociar a entrada de ajuda humanitária na Faixa de Gaza, território controlado pelo Hamas e sob bloqueio económico de Israel desde 2007.

Numa altura em que Israel se prepara para uma ofensiva terrestre em Gaza, depois de o Egito ter anunciado a entrada para breve em Gaza de pelo menos 20 camiões com ajuda humanitária, o balanço de mortos desde 7 de outubro continua a aumentar.

Nesse dia, o Hamas lançou uma ofensiva inédita em décadas, por terra, ar e mar, contra Israel, matando 1.400 pessoas, sobretudo civis, e fazendo mais de 200 reféns.

Desde então, Israel declarou guerra ao grupo islamita e lançou uma campanha de bombardeamentos contra a Faixa de Gaza. Pelo menos 3.200 pessoas já morreram, quase metade delas crianças, e há milhares de feridos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+