Tempo
|
A+ / A-

Energia

Gasoduto entre Itália e Argélia "não entra em conflito" com projeto ibérico

23 jan, 2023 - 22:48 • João Malheiro

O coordenador do Observatorio Ibérico de Energia mantém-se cético em relação ao potencial do país africano em conseguir fornecer quantias relevantes para a Itália, no que toca ao hidrogénio verde.

A+ / A-

O coordenador do Observatorio Ibérico de Energia considera que o gasoduto anunciado pela Itália e a Argélia "não entra em conflito" com o gasoduto ibérico, que já conta com a apoio de França e da Alemanha, para distribuir hidrogénio pela Europa.

O projeto privado deverá envolver o fornecimento de gás mas também de hidrogénio, amoníaco e eletricidade.

À Renascença, António Eloy refere que se tratam "de coisas virtuais, que ainda não se concretizaram" e que não podem ser projetadas dessa forma.

"A Argélia não pode fornecer eletricidade por um gasoduto e não pode fornecer hidrogénio, nem amónia, porque não o produz. A Argélia tem a expetativa de em 2035 produzir tanta energia renovável quanto Portugal já produz num trimestre", indica.

O especialista mantém-se cético em relação ao potencial do país africano em conseguir fornecer quantias relevantes para a Itália, no que toca ao hidrogénio verde.

"Se o projeto ibérico for para a frente, o hidrogénio da Argélia já nem entra no mercado, quando for capaz de o produzir", considera.

Por isso, António Eloy vê a conferência de imprensa desta segunda-feira, entre Itália e Argélia, como "mera propaganda".

Por outro lado, admite que a Argélia poderá fornecer gás natural, "embora as suas reservas têm estado a diminuir".

"Agora, o gás natural não se compara minimamente com o projeto ibérico", aponta.

O coordenador do Observatorio Ibérico de Energia defende a exploração do hidrogénio verde enquanto recurso, mas lamenta, ainda, que Portugal "o esteja a fazer à pressa e mal".

"Nunca se fez nenhum investimento substancial. E agora, para aproveitar o PRR, está fazer-se tudo. A pressa é inimiga do bom", critica.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+