Tempo
|
A+ / A-

“O inverno mais difícil”. ONU lança campanha para ajudar refugiados e deslocados

02 dez, 2022 - 10:58 • Olímpia Mairos

“São milhões de refugiados entre a Ucrânia, Afeganistão e Síria entre a geada e a fome. A ajuda de todos é urgentemente necessária”, diz o ACNUR.

A+ / A-

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) alerta que milhões de pessoas, correm o risco, neste inverno, de terem que escolher entre comer ou se aquecer. São refugiados e deslocados que foram forçados a fugir de conflitos e perseguições e a deixar todos os seus bens e redes de apoio.

“Nestes meses frios do ano correm o risco de se depararem com a dramática impossibilidade de aquecer os seus abrigos de emergência, conseguir roupas e cobertores para se abrigarem da geada, preparar refeições quentes”, alerta a agência das Nações Unidas que acaba de lançar uma campanha de angariação de fundos.

“São milhões de refugiados entre a Ucrânia, Afeganistão e Síria entre a geada e a fome. A ajuda de todos é urgentemente necessária”, diz o ACNUR.

Segundo o organismo, uma das situações “mais dramáticas” vive-se na Ucrânia onde, desde o início do conflito, quase um terço das pessoas foram forçadas a deixar as suas casas.

“Mais de 7,8 milhões de pessoas foram registadas como refugiadas em toda a Europa, enquanto outras 6,5 milhões são deslocadas internamente. Dentro do país, a situação continua a deteriorar-se. Milhões de pessoas vivem em casas danificadas ou em edifícios inadequados e incapazes de proteger do frio, com cortes de energia, aquecimento e abastecimento de água”, especifica.

Com a campanha “O inverno mais difícil”, o ACNUR quer angariar fundos para ajudar as famílias deslocadas e refugiadas e responder prontamente às necessidades mais urgentes, nos meses mais frios do ano.

Além da situação da guerra na Ucrânia, o órgão da ONU também destaca a situação de risco de milhões de sírios, iraquianos e afegãos, referindo que existem mais de 10 milhões de refugiados sírios e iraquianos e deslocados internos na Síria, Líbano, Jordânia, Iraque e Egito, sendo que “3,4 milhões estão em extrema necessidade”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+