Tempo
|
A+ / A-

COI congratula-se por ONU reconhecer neutralidade do movimento olímpico

01 dez, 2022 - 21:35 • Lusa

Para o líder do movimento olímpico, "o COI só pode cumprir a sua missão unificadora se os Jogos Olímpicos e Paralímpicos transcenderam as diferenças políticas, culturais e outras, o que só é possível se forem neutros no plano político e não se tornem um instrumento ao serviço de objetivos políticos".

A+ / A-

O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, congratulou-se esta quinta-feira com o reconhecimento, por parte da ONU, do "caráter unificador e conciliador" das grandes competições desportivas internacionais.

A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas aprovou hoje, em Nova Iorque, uma resolução reconhecendo que "as grandes manifestações desportivas internacionais devem ser organizadas em espírito de paz" e que convém respeitar "o caráter unificador e conciliador" desses momentos.

A resolução reafirma ainda a contribuição nesse sentido dos movimentos olímpico e paralímpico.

"Ao adotar essa resolução, a Assembleia Geral das Nações Unidas apoia igualmente a missão primordial dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, como força unificadora, que agrupa o mundo inteiro numa competição pacífica, livre de qualquer discriminação", disse Bach.

Para o líder do movimento olímpico, "o COI só pode cumprir a sua missão unificadora se os Jogos Olímpicos e Paralímpicos transcenderam as diferenças políticas, culturais e outras, o que só é possível se forem neutros no plano político e não se tornem um instrumento ao serviço de objetivos políticos".

"Isso só será possível com a condição de os Jogos Olímpicos serem neutros no plano político e que não se tornem um instrumento ao serviço de objetivos políticos. É com a maior satisfação que recebemos o apoio sem equívocos dos Estados membros da ONU à neutralidade política do COI e a autonomia do desporto, como está expresso na resolução", disse ainda Thomas Bach.

A resolução foi adotada por consenso na 77.ª sessão da Assembleia Geral da Nações Unidas e contou com a adesão da Rússia e da Ucrânia, inclusivamente.

O COI tem desde 2009 o estatuto de observador permanente na ONU, como reconhecimento da "contribuição inestimável dos movimentos olímpico e paralímpico que fazem do desporto um meio único na promoção da paz e do desenvolvimento", como foi definido na resolução então aprovada.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+