Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Carolyn R. Bertozzi, Morten Meldal e K. Barry Sharpless vencem Nobel da Química

05 out, 2022 - 10:49 • Redação

Prémio distingue dois norte-americanos e um dinamarquês pelo desenvolvimento pela "criação de métodos engenhosos para criar novas moléculas".

A+ / A-

A Real Academia Sueca de Ciências revela que Carolyn R. Bertozzi, Morten Meldal e K. Barry Sharpless são os vencedores do prémio Nobel da Química pelo “desenvolvimento da química do clique e da química bio-ortogonal”.

Segundo a Academia Sueca, este Nobel é sobre facilitar processos complicados. Os dois norte-americanos e o dinamarquês lançaram as bases para uma forma funcional da química – “click chemistry” [química do clique] – na qual blocos moleculares encaixam de forma rápida e eficiente.

“A química do clique é utilizada no desenvolvimento de produtos farmacêuticos, para mapear ADN e criar materiais mais adequados”, lê-se no comunicado da Academia.

Por sua vez, Carolyn Bertozzi “levou a química do clique para uma nova dimensão, começando a utilizá-la em organismos vivos. As suas reações bio-ortogonais ocorrem sem interromper a química normal da célula", explica.

“Recorrendo a reações bio-ortogonais, os investigadores melhoraram o funcionamento de produtos farmacêuticos contra o cancro.”

Barry Sharpless é a quinta pessoa da história a vencer um segundo Prémio Nobel, tendo o primeiro sido em 2001. Assim, junta-se a outras personalidades que receberam o Prémio Nobel por duas vezes: John Bardeen, Marie Skłodowska Curie, Linus Pauling e Frederick Sanger.

O termo bio-ortogonal refere-se a qualquer reação química que pode ocorrer dentro de sistemas vivos sem interferir nos processos bioquímicos nativos. O termo foi cunhado por Carolyn R. Bertozzi em 2003.

Este é o terceiro Nobel a ser anunciado este ano. Segunda-feira foi entregue o da Medicina ao sueco Svante Pääbo e na terça o da Física ao francês Alain Aspect, o norte-americano John F. Clauser e o austríaco Anton Zeilinger.

Os vencedores recebem um diploma, uma medalha de ouro e uma quantia em dinheiro, que este ano será de 10 milhões de coroas suecas (cerca de 919 mil euros) a dividir pelas várias categorias.

A temporada Nobel de 2022 culmina a 7 de outubro com a atribuição Nobel da Paz, categoria este ano muito aguardada, em tempo de guerra na Europa.

Todas as categorias serão anunciadas em Estocolmo, exceto o Nobel da Paz que, como habitualmente, será atribuído pelo Comité Nobel Norueguês e terá como cenário o Instituto Nobel Norueguês, em Oslo, na próxima sexta-feira, 7 de outubro.

Os prémios Nobel nasceram da vontade do cientista e industrial sueco Alfred Nobel (1833-1896) em legar grande parte da sua fortuna a pessoas que trabalhem por "um mundo melhor". O prestígio internacional dos prémios Nobel deve-se, em grande parte, às quantias atribuídas, que atualmente chegam aos dez milhões de coroas suecas (mais de 953.000 euros).

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+