Tempo
|
A+ / A-

Merkel recebe prémio da ONU por proteção de refugiados

04 out, 2022 - 12:43

A Alemanha recebeu mais de 1,2 milhões de refugiados e requerentes de asilo, sobretudo nos anos 2015 e 2016.

A+ / A-

A ex-chanceler alemã ganhou o prémio Nansen do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) por proteger milhares de refugiados no auge da crise na Síria.

"Ao ajudar mais de um milhão de refugiados a sobreviver e reconstruir as suas vidas, Angela Merkel demonstrou grande coragem moral e política", justificou o alto-comissário da agência da ONU para os refugiados, Filippo Grandi, em comunicado divulgado esta terça-feira.

Sob a liderança da ex-chanceler, que esteve à frente do país entre 2005 e 2021, a Alemanha recebeu mais de 1,2 milhões de refugiados e requerentes de asilo, sobretudo nos anos 2015 e 2016, quando o conflito na Síria estava no seu auge e a Europa viveu uma das maiores crises de imigração de sempre.

O prémio, atribuído anualmente, foi batizado em homenagem ao explorador, cientista, diplomata e humanitário norueguês Fridtjof Nansen e é concedido a uma pessoa, grupo ou organização que tenha ido além do seu dever na proteção de refugiados, deslocados internos ou apátridas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    04 out, 2022 Lisboa 17:58
    Muitos dos problemas que a Alemanha enfrenta hoje - dependência energética, incapacidade militar para defesa própria, dependências do inimigo em várias áreas - tiveram origem nos 16 anos de política Merkel à frente da Alemanha. Eu não estaria tão ansioso por lhe conceder honrarias ...
  • Digo
    04 out, 2022 Eu 12:02
    Esteve bem aí, esteve mal ao deixar o próprio País na dependência energética quase total, da Rússia, apesar dos constantes avisos que lhe chegavam de todos os quadrantes.

Destaques V+