Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Rússia anuncia "retirada" de forças de posto estratégico em Lyman

01 out, 2022 - 18:35 • Lusa

Nas últimas horas, as forças ucranianas tinham anunciado a entrada em Lyman, na região de Donetsk, cuja anexação pela Rússia tinha sido celebrada na sexta-feira por Moscovo.

A+ / A-

O exército russo anunciou este sábado a "retirada" da cidade de Lyman, um importante entroncamento ferroviário no leste da Ucrânia que soldados ucranianos dizem ter "cercado" nas últimas horas.

"Ameaçadas de cerco, as tropas aliadas foram retiradas de Lyman para posições mais favoráveis", informou o Ministério da Defesa russo, em comunicado, referindo-se a um posto onde as forças controladas por Moscovo tinham posicionado cerca de 5.000 soldados.

Nas últimas horas, as forças ucranianas tinham anunciado a entrada em Lyman, na região de Donetsk, cuja anexação pela Rússia tinha sido celebrada na sexta-feira por Moscovo.

"Lyman é um posto importante, já que constitui o próximo passo para a libertação do Donbass. Esta é uma oportunidade para avançarmos para Kreminna e para Sievierodonetsk, pelo que se torna psicologicamente muito relevante", admitiu Serhii Cherevatyi, porta-voz das forças ucranianas.

Lyman constitui um importante centro logístico, um relevante entroncamento ferroviário e um posto fundamental para a frente russa na Ucrânia.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas -- mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,4 milhões para os países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa -- justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia - foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    02 out, 2022 Lisboa 11:38
    Na Realidade Alternativa de Putin, território "russo" foi atacado e ocupado por um país "estrangeiro", logo a Rússia tem o direito de usar todos os meios para se "defender" incluindo as armas nucleares que ele está sempre a falar. Só que ele não vai fazer nada disso e sabem porquê? Porque a ideia era apenas "assustar" o Ocidente, especialmente este parque geriatrico chamado Europa, a ver se o envio de armas para a Ucrânia parava, ou era drasticamente reduzido, e se Macrons e companhia pressionassem a Ucrânia a começar "negociações", que eram apenas o reconhecimento da anexação de territórios, coisa que a Ucrânia obviamente, não está disponível para aceitar. Isso falhou, pelo menos até agora, portanto Putin espera pelo General Inverno, a ver se o parque geriatrico desiste de apoioar a Ucrânia. Eu digo: o Norte da Europa vai passar um mau bocado - deve acrescentar-se que também por muita culpa própria de Sarkhozys, Schoreders, Merkels e companhia - mas que não é nem 1/3 daquilo que a Ucrânia está a passar. E eles, Ucranianos, não desistem. E nós também não.
  • Gozar com isto tudo
    01 out, 2022 Risota 21:35
    Então oh Putin, o território onde "milhões" votaram pela anexação, que se "tornou " território Russo (Lol) foi atacado e ocupado por um "País estrangeiro". Não lanças as armas nucleares, oh fala-barato?

Destaques V+