Tempo
|
A+ / A-

Vitória esmagadora do "sim" nos contestados referendos nas regiões separatistas da Ucrânia

27 set, 2022 - 16:26 • Rosário Silva , com agências

As consultas populares decorreram entre 23 e 27 de setembro, nas regiões de Donetsk, Lugansk, Zaporijia e Kherson.

A+ / A-

Os meios de comunicação russos divulgaram os resultados preliminares dos referendos sobre a adesão à Federação Russa dos territórios ucranianos ocupados.

Com cerca de um quinto dos votos contados, a imprensa estatal avança que “uma esmagadora maioria votou a favor da adesão à Rússia”.

Por regiões:

- 97% na região de Kherson

- 98% em Zaporijia

- 98% em Donetsk

- 98% em Lugansk

Recorde-se que os parlamentos das autoproclamadas repúblicas populares de Donetsk e Lugansk, reconhecidas pelo Kremlin a 21 de fevereiro deste ano, convocaram um referendo de integração na Rússia entre 23 e 27 de setembro.

Posteriormente, juntaram as regiões de Kherson e Zaporijia, parcialmente sob domínio russo.

Sobre a participação nos referendos, agência de notícias russa Tass, controlada pelo Presidente Putin, avançou que em Donetsk e Lugansk a participação foi superior a 80%, enquanto em Zaporijia e Kherson atingiu pouco mais de 60%.

Quer a Ucrânia, quer a comunidade internacional não reconhecem a legalidade das consultas populares.

Os próprios países que integram o G7, em comunicado, anunciaram que “nunca reconhecerão falsos referendos”. Estas potências mundiais pedem à comunidade internacional que rejeite “estas consultas públicas que consideram ilegais” e que decorrem em zonas que “foram ocupadas à força pela Rússia”.

O G7 garante ainda que está a ser violada a Carta das Nações Unidas e o direito internacional.

Estados Unidos, Canadá, Japão, França, Itália, Reino Unido e Alemanha reiteram apoio à Ucrânia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EU
    28 set, 2022 PORTUGAL 13:44
    Estes resultados só terão LEGITIMIDADE com o parecer final do PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS, caso contrário terão de REPETIR o acto, mas sem FARDADOS e armados.
  • A gozar
    27 set, 2022 Com coisas sérias 20:27
    De certeza que não são 100%? Ora contem lá bem ...
  • Embrulho de peixe
    27 set, 2022 Mundo Livre 18:47
    Admira é não serem 100 % em tudo ... De qualquer maneira, em termos da Opinião Ocidental, esses resultados só servem para embrulhar peixe, pelo que 98 ou 100% é igual ao litro ...

Destaques V+