Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Eleições em Itália. Meloni é a mais votada e direita tem entre 41 e 45% dos votos

25 set, 2022 - 22:13 • Redação

As primeiras projeções dão entre 22% e 26% aos "Irmãos de Itália". A Liga de Salvini terá entre 8,5% e 12,5%.

A+ / A-

As primeiras projeções das eleições legislativas em Itália dão a vitória aos "Irmãos de Itália" de Giorgia Meloni com uma votação entre os 22% e os 26%. A coligação de direita deverá ter um resultado entre os 41% e os 45%.

A confirmarem-se os resultados, Meloni poderá ser a primeira mulher a assumir o cargo. Este resultado pode dar à direita a eleição de 227 a 257 deputados.

Devido à pulverização partidária, nenhum partido deverá obter uma maioria suficiente para governar sozinho.

A direita e a extrema-direita conseguiram um acordo de coligação que poderá levar Giorgia Meloni ao poder, juntamente com o partido conservador Força Itália, do ex-primeiro-ministro Sílvio Berlusconi, e da Liga, de Matteo Salvini, conhecido pela sua política dura contra a imigração.

Salvini deverá ter uma votação entre os 8,5% e os 12,5%, enquanto que Berlusconi não deverá passar os 8%. Aos Moderados que fecham a coligação de extrema-direita e direita as projeções dão um resultado entre 0,5% e os 2,5%.

Salvini diz "Obrigado" aos italianos

O líder da Liga já se mostrou contente no Twitter com a votação da coligação de direita.

"Centro-direita em clara vantagem tanto na Câmara quanto no Senado! Vai ser uma longa noite, mas já quero dizer OBRIGADO", escreveu Matteo Salvini.

A abstenção cifrou-se nos 36%, o pior registo de sempre em eleições legislativas em Itália.

O centro esquerda é o segundo bloco mais votado com um resultado entre os 25,5% e os 29,5%. Este resultado pode valer a eleição entre 78 e 98 deputados.

O Movimento Cinco Estrelas teve um resultado também bastante significativo. Michele Gubitosa, vice-presidente d0 Movimento Cinco Estrelas, considerou que uma votação entre os 13,5 a 17,5% é “importante”.

“Até há pouco, davam-nos como mortos, lembro-me de sondagens num resultado entre os 6 a 8%".

"A direita não tem maioria no país"

"Com esta lei eleitoral a direita tem maioria no Parlamento, mas não tem maioria no país", declarou Debora Serracchiani, porta-voz do Partido Democrático (centro-esquerda), numa primeira reação à vitória de Giorgia Meloni.

Em tese, o mandato do Governo acompanha o mandato do parlamento, que é de cinco anos, mas a Itália é conhecida pelas crises políticas e pelos muitos governos.

Desde as eleições de 2018, os italianos tiveram três governos: dois chefiados pelo líder do Movimento 5 Estrelas, Giuseppe Conte, e outro por Mário Draghi.

As eleições de hoje foram marcadas depois de o Movimento 5 Estrelas ter decidido abandonar a coligação governamental.

[notícia atualizada às 00h55]

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+