Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Costa pede investigação independente a "flagrante violação do Direito Internacional" pela Rússia

22 set, 2022 - 21:53 • João Malheiro

António Costa aproveitou o seu discurso na ONU para defender uma reformulação do Conselho de Segurança das Nações Unidas, para que seja mais "representativo, ágil e funcional".

A+ / A-

O primeiro-ministro pediu uma investigação independente à "flagrante violação do Direito Internacional" cometido pela Rússia, com a guerra contra a Ucrânia.

Na Assembleia Geral das Nações Unidas, esta quinta-feira, António Costa diz que Moscovo "deve cessar as hostilidades e permitir a criação de uma diálogo sério e sustentado, orientado para o cessar fogo e a paz".

"Não é tempo da Rússia escalar o conflito e fazer irresponsáveis ameaças", critica.

Não obstante, o líder do Executivo deixa claro que quaisquer sanções à Rússia não podem afetar o comércio de cereais.

António Costa aproveitou o seu discurso na ONU para defender uma reformulação do Conselho de Segurança das Nações Unidas, para que seja mais "representativo, ágil e funcional".

"Um Conselho de Segurança que reconheça que as alterações climáticas são um fator de aceleração de conflito. Um Conselho de Segurança em que países africanos e, pelo menos, Brasil e India sejam incluidos", apela.

Portugal tem intensificado contactos durante a 77.ª sessão da Assembleia-Geral da ONU para preparar a candidatura ao Conselho de Segurança em 2026. Uma campanha que João Gomes Cravinho diz aos jornalistas ser "multifacetada".

O ministro dos Negócios Estrangeiros acredita que Portugal tem "argumentos muito fortes" para voltar a integrar o orgão.

O primeiro-ministro realça também que Portugal "tem estado na linha da frente do processo de descarbonização".

"O potencial transformador das Nações Unidas é imenso, mas para isso é necessário depositar as ferramentas necessárias. Um terça da população mundial tem menos de 20 anos. É indispensável que as vozes dos jovens sejam escutadas e que tenham uma presença no processo de decisão", defende, ainda.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joaquim Correto
    22 set, 2022 Paços 22:04
    Num dia em que o Putin diz claramente que pode usar armas nucleares, o nosso primeiro decide fazer mais uma provocação! Completamente surreal! Numa coisa vos dou a certeza absoluta: Se a guerra chegar aqui, eu não pego numa arma sequer, nem que me obriguem!

Destaques V+