Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Sinos das igrejas do Reino Unido vão tocar em memória de Isabel II

09 set, 2022 - 07:00 • Olímpia Mairos com redação

Será ao meio-dia e a homenagem vai prolongar-se por uma hora.

A+ / A-

Os sinos das igrejas vão tocar esta sexta-feira em todo o Reino Unido. Será ao meio-dia e a homenagem vai prolongar-se por uma hora.

O país vai cumprir dez dias de luto nacional pela morte de Isabel II.

Para este dia, estão previstas múltiplas homenagens dos britânicos a Isabel II, a Rainha de Inglaterra que morreu ontem aos 96 anos na Escócia, na casa de férias da família real.

Um dos locais de homenagem tem sido o Palácio de Buckingham residência oficial da monarquia britânica para onde milhares de pessoas se deslocaram nas últimas horas com velas e flores.

O Palácio de Buckingham anunciou que os sinos de igreja serão tocados em todo o Reino Unido em memória de Isabel II. Já as capelas e catedrais vão estar abertas para orações.

Com a morte de Isabel II chega ao fim também o mais longo reinado de uma monarca em toda a história, um reinado de 70 anos.

Vai suceder-se no trono britânico Carlos III, o filho mais velho de Isabel II.

De acordo com o jornal britânico The Times, Carlos III será formalmente proclamado Rei de Inglaterra no sábado. Já esta sexta-feira irá reunir-se com a primeira-ministra do Reino Unido, Liz Truss e depois, às seis da tarde vai dirigir-se ao país.

Na Câmara dos Comuns, mantém-se prevista uma sessão especial para os deputados prestarem homenagem à Rainha, uma sessão com início previsto para o meio-dia. Também hoje é esperada uma comunicação do novo monarca ao país.

Seguem-se agora 10 dias de luto nacional no Reino Unido que vão culminar com as cerimónias fúnebres de Isabel II na Abadia de Westminster. Cerimónias que contarão com a presença de Marcelo Rebelo de Sousa e também do ministro dos Negócios Estrangeiros.

O funeral de Estado de Isabel II começou a ser desenhado há quase 20 anos. O duque de Norfolk, Edward William Fitzalan-Howard, preside a uma comissão constituída por membros da aristocracia britânica que revê e atualiza regularmente os planos da operação.

Ainda que a rainha não fizesse parte da comissão, estava informada ao pormenor dos planos do seu funeral com o máximo de honras. Mas, por saber, estão muitas das decisões das reuniões desta comissão muito especial que podem ter alterado, transformado e revisto alguns dos planos da operação que terá o seu início quando Liz Truss receber a informação: “London Bridge is down”.

O novo Rei de Inglaterra, Carlos III, divulgou uma mensagem onde expressa "grande tristeza" pela morte da mãe, a rainha Isabel II.

"Lamentamos profundamente o falecimento de uma Soberana estimada e de uma Mãe muito amada. Sei que a sua perda será profundamente sentida em todo o país, nos Reinos e na Commonwealth, e por inúmeras pessoas em todo o mundo", declarou.

"Durante este período de luto e mudança, a minha família e eu seremos confortados e sustentados pelo nosso conhecimento do respeito e profundo afeto em que a Rainha foi tão amplamente acarinhada", sublinhou o novo Rei de Inglaterra.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+