Tempo
|
A+ / A-

Instagram multado em 405 milhões de euros por violar privacidade de crianças na UE

06 set, 2022 - 10:08 • Lusa

Comissão Irlandesa de Proteção de Dados supervisiona em nome da UE a Meta, dona do Instagram, uma vez que a gigante cibernética tem a sua sede regional na Irlanda.

A+ / A-

A rede social Instagram foi multada em 405 milhões de euros por violação no tratamento de dados de menores, anunciou hoje o regulador irlandês, que atua em nome da União Europeia.

“Adotámos a nossa decisão na passada sexta-feira e inclui uma multa de 405 milhões de euros. Os detalhes vão ser publicados na próxima semana”, disse à agência de notícias France-Presse (AFP) um representante da Comissão Irlandesa de Proteção de Dados (DPC, na sigla em inglês).

Trata-se da mais dura decisão imposta por essa autoridade desde 2018, quando o Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDRP, na sigla em inglês) deu mais poder aos reguladores para proteger os consumidores face ao domínio do Facebook, Google, Apple e Twitter.

O DPC supervisiona em nome da UE a Meta, dona do Instagram, uma vez que a gigante cibernética tem a sua sede regional na Irlanda.

O regulador abriu uma investigação no final de 2020, para determinar se a rede social colocou em prática a segurança necessária para proteger os dados dos utilizadores, especialmente nos menores de idade — para obter conta é preciso ter pelo menos 13 anos.

O DPC demonstrou preocupação com facto de os utilizadores com menos de 18 anos conseguirem facilmente mudar para uma conta profissional. Este tipo de conta exige que os utilizadores tornem os seus dados de contacto públicos, ficando visíveis para todos no Instagram.

O regulador também criticou o Instagram, dizendo que o conteúdo das contas de menores era aberto por padrão em determinados horários para todos os utilizadores e não restrito apenas a subscritores aprovados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+