Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Eleições no Brasil

Tribunal ordena retirada de vídeo em que Bolsonaro ataca sistema eleitoral sem provas

25 ago, 2022 - 14:21 • Redação

Tribunal Eleitoral ordenou ao Facebook, Instagram, YouTube e às televisões a retirada de circulação do vídeo da reuinião do Presidente com embaixadores e diplomatas estrangeiros.

A+ / A-

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do Brasil ordenou a retirada de circulação de um vídeo em que Jair Bolsonaro, atual Presidente e candidato à recondução, questiona a transparência e funcionamento do sistema de voto brasileiro sem qualquer prova que sustente as acusações.

O vídeo mostra uma reunião realizada em julho por Bolsonaro com embaixadores e diplomatas estrangeiros, durante a qual teceu ataques infundados ao sistema eleitoral, em particular à segurança das urnas, numa altura em que o seu principal opositor nas eleições de outubro, Lula da Silva, continua a liderar as sondagens.

Na sequência de queixas, com a oposição a acusar Bolsonaro de aproveitar a presidência para espalhar "fake news" sobre as eleições, o ministro corregedor do TSE, Mauro Campbell, ordenou na quarta-feira ao Facebook, Instagram, YouTube e TV Brasil a retirada de circulação do vídeo.

Entre os argumentos apresentados pelo responsável conta-se o facto de Bolsonaro ter reproduzido nesse encontro informações já desmentidas pela própria instância judicial superior. Apesar disto, o Presidente brasileiro "insiste em divulgar deliberadamente factos inverídicos", destaca Campbell.

Outro dos fundamentos invocados pelo ministro para justificar a decisão prendem-se com "a proteção da imagem da Justiça Eleitoral e do processo eleitoral", quando falta cerca de um mês e meio para a ida às urnas, marcada para 2 de outubro.

“Há risco evidente de irreversibilidade do dano causado ao representante e à própria Justiça Eleitoral, no que tange à confiabilidade do processo eleitoral, em razão da disseminação de informações falsas, relativamente ao sistema de votação e totalização de votos, adotado há mais de vinte anos por este Tribunal.”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+