Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Putin vangloria-se com aumento das receitas de gás e petróleo

25 ago, 2022 - 20:39 • Lusa

Ainda não entrou em vigor o embargo parcial ao petróleo russo na UE, o que afetará 90% do petróleo bruto que chega da Rússia a partir do próximo ano.

A+ / A-

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, vangloriou-se esta quinta-feira pelo aumento das receitas do petróleo e gás no orçamento do seu governo, apesar das sanções ocidentais decretadas devido à intervenção militar russa na Ucrânia.

“Apesar dos problemas que os nossos detratores e invejosos tentam criar-nos, o orçamento está a avançar a um ritmo adequado, as receitas do petróleo e do gás estão a crescer, e o mais satisfatório é que também as receitas não petrolíferas e de gás estão a aumentar”, disse Putin numa reunião com o chefe do Serviço Fiscal Federal, Daniil Yegorov.

Tudo isto quando ainda não entrou em vigor o embargo parcial ao petróleo russo – com algumas exceções – na União Europeia (UE), o que afetará 90% do petróleo bruto que chega da Rússia a partir de janeiro de 2023.

Yegorov explicou que o orçamento consolidado da Rússia cresceu 32% no primeiro semestre do ano, algo em que “sem dúvida desempenham um papel importante as receitas do petróleo e do gás e nas condições de mercado” com elevados preços dos hidrocarbonetos.

Na opinião de Putin, tudo isto significa uma “estabilização dos indicadores económicos” da Rússia.

Os preços da energia na Europa subiram desde o inicio da intervenção militar da Rússia na Ucrânia, há seis meses, pelo que Moscovo ganha agora mais 89% do que há um ano para exportar hidrocarbonetos para a União Europeia (UE), apesar de vender um menor volume – menos 15% – de combustíveis.

Isto mesmo depois de Putin ter cortado o gás, total ou parcialmente, a doze Estados-membros e ter reduzido o fluxo de combustível através do gasoduto Nord Stream para a Alemanha para 20% da sua capacidade, alegando “razões técnicas”.

O bloco da UE gasta atualmente cerca de 13.916 milhões de euros por mês para comprar carvão, petróleo e gás a Moscovo, em comparação com a média mensal de 7.330 milhões que pagava há um ano, quando os preços já começavam a disparar devido ao aumento da procura mundial com a recuperação económica após a pandemia.

O alto representante para a política externa da União Europeia, Josep Borrell, reconheceu na quarta-feira, em entrevista à agência Efe, que “não é uma boa notícia” que a Rússia esteja a ganhar mais dinheiro com o aumento do preço do gás, mas disse que “o que retira” da venda deste combustível “serve-lhe pouco”.

“Toda a tecnologia que precisa para repor as suas perdas materiais, para pilotar os seus aviões, por muito dinheiro que tenha, não pode comprá-la porque não queremos vendê-la”, disse então Borrell.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    27 ago, 2022 Lisboa 12:22
    É obvio que as sanções ocidentais estão a falhar, e em grande parte porque não são verdadeiras sanções. Sanções seriam, com o corte total de importações de carvão, gás natural, petróleo da Rússia. Proibição total do transporte de produtos russos em fretes marítimos de e para outros países por navios mercantes de terceiros. Isto sim, faria verdadeira mossa. Mas graças aos líderes ocidentais que cairam no canto de sereia de Putin e na treta dos combustíveis baratos - Sarkhozys, Schroeders, Merkels, entre outros - de momento, o Ocidente não pode fazê-lo. E quando puder... não vai fazê-lo. Isto a juntar a não ter sido declarada uma zona de exclusão aérea sobre a Ucrânia desde o primeiro dia de guerra, do cagaço sobre ameaças nucleares que todos sabemos nunca serão levadas à pratica - a não ser que a Rússia esteja pronta para se suicidar coletivamente - ou a ter atitudes de reverência para com um País criminoso e invasor - o Ocidente fala timidamente, ao passo que cada coisa que a Rússia diz, multiplicam-se as reuniões sobre reuniões a "analisar" se é mesmo assim- tudo isto faz com que a Rússia ainda cante de galo, enquanto que o Ocidente "já treme" e ainda nem chegou o Inverno. Onde andam os Churchill, os Roosevelt, os lideres políticos que o Ocidente já teve ?

Destaques V+