Tempo
|
A+ / A-

Ucrânia. Primeiro navio da ONU leva 23 mil toneladas de cereais para África

16 ago, 2022 - 09:00

O primeiro navio humanitário fretado pela ONU para transportar cereais ucranianos deixou hoje o porto de Pivdenny, para África, com cerca de 23.000 toneladas, anunciou o Ministério das Infraestruturas da Ucrânia.

A+ / A-

"Esta manhã, o cargueiro partiu para o porto de Djibuti, onde a comida será entregue à chegada aos consumidores na Etiópia", escreveu o ministério na plataforma de mensagens Telegram.

O navio foi fretado pelo Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

O ministro das Infraestruturas ucraniano, Oleksander Kubrakov, disse esperar que "mais dois ou três" navios fretados pela ONU partissem em breve.

Este é o primeiro carregamento de ajuda alimentar a deixar a Ucrânia desde que foi assinado em julho por Kiev e Moscovo um acordo de exportação de cereais ucranianos, bloqueado devido à guerra entre os dois países.

O primeiro navio comercial partiu no dia 1 e mais de 15 navios, no total, deixaram a Ucrânia desde a entrada em vigor do acordo, segundo as autoridades ucranianas, mas nenhuma carga humanitária da ONU tinha ainda zarpado.

A Ucrânia e a Rússia estão entre os maiores exportadores mundiais de cereais, cujos preços dispararam desde o início da guerra.

De acordo com o Programa Alimentar Mundial, um número recorde de 345 milhões de pessoas em 82 países estão agora em grave insegurança alimentar, enquanto até 50 milhões de pessoas em 45 países estão em risco de morrer à fome sem assistência humanitária.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+