Tempo
|
A+ / A-

“Corpos estranhos” levam "ASAE espanhola" a retirar vários gelados do mercado

10 ago, 2022 - 14:30 • Rosário Silva

Em causa estão gelados das cadeias de supermercados Aldi, Lidl e Mercadona.

A+ / A-

A Agência Espanhola de Segurança Alimentar e Nutrição (Aesan) anunciou esta quarta-feira a decisão de retirar diversas “referências de gelados” das cadeias de supermercados Aldi, Lidl e Mercadona, devido à presença de “corpos estranhos”.

Segundo noticia o “elEconomista”, a Aesan, que depende do Ministério do Consumo espanhol, recomenda a todos os que, porventura, tenham em casa os produtos em causa, devem “abster-se de os consumir, devolvendo-os ao local de compra”.

Na lista deste “alerta alimentar”, estão os seguintes produtos: “Gelatelli 7x75 Eclipse de Lidl, Espiral 7x75 de Hacendado, Chupy Fresh e Chupy Cola do Aldi”.

A informação da autoridade espanhola dá conta que os lotes e as validades dos gelados em causa, vão de “30/4/2024 a 20/7/2024 no caso dos produtos do Hacendado; de 31/4/2024 a 30/7/2024 nos produtos do Lidl e de 31/5/2024 a 31/7/2024 nos gelados do Aldi”.

A Aesan dá ainda conta que a informação já foi comunicada às autoridades competentes, das comunidades autónomas espanholas, através do Sistema de Coordenação de Intercâmbio Rápido de Informação, para que seja verificada a retirada dos canais de comunicação destes produtos contaminados.

Contatado pela Renascença, e numa resposta lacónica, o Departamento de Comunicação do Lidl Portugal, faz saber que "os gelados em questão – Gelatelli 7 X75 Eclipse, lote 31/04/2024 a 30/07/2024 - não se encontram à venda nas lojas Lidl em Portugal".

Também a cadeia de supermercados Mercadona já reagiu, para informar que foi contatada pelo “fornecedor Lacrem”, no dia 29 de julho, pedindo que procedesse “à retirada voluntária, e por uma questão de precaução, do Gelado Espiral Pack 7 Hacendado, devido à possível presença de pedaços visíveis do pau de madeira do gelado”.

O grupo espanhol garante que “nesse mesmo dia”, retirou “todos os lotes deste produto dos seus supermercados em Espanha e Portugal”.

Apesar disto, e no caso do produto ainda se encontrar na posse de qualquer um cliente que o pretenda devolver, a cadeia de supermercados garante que “o valor ser-lhe-á restituído na loja mais próxima”.

“Tanto a Mercadona como o fornecedor Lacrem pedem desculpa a todos os clientes pelo incómodo causado”, lê-se ainda na reação a que a Renascença teve acesso.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+