Tempo
|
A+ / A-

Polémica com Bolsonaro

"Marcelo não vai ao Brasil como sócio do Braga", realça Martins da Cruz

01 jul, 2022 - 18:32 • Pedro Mesquita com Redação

O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros explica que o protocolo brasileiro "é muito rigoroso" e que o chefe de Estado português não pode arriscar "estas incertezas".

A+ / A-
Martins da Cruz, antigo ministro dos Negócios Estrangeiros, sobre visita de Marcelo ao Brasil
Martins da Cruz, antigo ministro dos Negócios Estrangeiros, sobre visita de Marcelo ao Brasil

O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros, António Martins da Cruz, realça que Marcelo Rebelo de Sousa não vai ao Brasil "como sócio do Sporting de Braga", mas sim como chefe de Estado, e considera que a visita foi "mal preparada".

Em causa está uma polémica em que Jair Bolsonaro admite cancelar o encontro previsto com o Presidente da República. O chefe de Estado português parte esta sexta-feira para o Brasil, para uma visita com passagens pelo Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, em que tem previstos encontros com Lula, Temer e Bolsonaro.

De acordo com o portal R7, da rede Record, o presidente brasileiro ficou irritado com a decisão de Marcelo se encontrar com Lula da Silva, antigo Presidente, e de novo candidato às eleições deste ano e pode faltar à receção prevista para domingo que inclui um almoço, no palácio Itamaraty, em Brasília.

À Renascença, Martins da Cruz recorda que não é a primeira vez que Marcelo tem estas reuniões quando visita o Brasil, mas refere que, desta vez, "há uma campanha eleitoral" a decorrer no Brasil.

"Um Presidente da República não se pode sujeitar a isto. Ainda por cima no ano em que se comemoram os 200 anos da independência do Brasil", aponta.

O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros explica, ainda, que o protocolo brasileiro "é muito rigoroso" e que o chefe de Estado português não pode arriscar "estas incertezas".

No entanto, lembra que a polémica pode não ser mais do que rumores, já que nenhuma declaração oficial sobre o assunto foi, até agora, divulgada.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+