Tempo
|
A+ / A-

Embaixadora norte-americana em Portugal destaca "importante" laços entre os dois países

01 jul, 2022 - 00:00 • Lusa

Para Randi Charno Levine, o seu legado como embaixadora dos Estados Unidos em Portugal "será deixar os laços" - nos negócios, no Governo e na política - "bem apertados" entre os dois países.

A+ / A-

A embaixadora dos Estados Unidos em Portugal, Randi Charno Levine, considerou, esta quinta-feira, "importante" a relação entre os Estados português e norte-americano, dizendo que os dois países se têm apoiado mutuamente ao longo da história.

"Para mim é uma relação importante. Portugal é um membro da NATO, um forte aliado", disse à agência Lusa Randi Charno Levine, à margem do festejo do Dia da Independência dos Estados Unidos (que se festeja oficialmente no dia 4 de julho), na Embaixada norte-americana em Lisboa.

Lembrando o seu discurso de abertura e os "valores comuns" entre Portugal e Estados Unidos, a diplomata salientou que as duas nações encontraram "uma forma" de apoiar os mesmos valores e "apoiar o gosto pela democracia", no sentido de ajudar "um ao outro" para alimentar os laços.

"Como referi, nós sentenciámos a independência com Vinho da Madeira, estivemos juntos lado a lado, apoiando-nos na revolução, na tragédia, na economia e nos problemas sociais", observou, afirmando ter "esperança de que a relação será risonha e muito mais forte e produtiva".

"Esta é a minha oportunidade, para ajudar a levar às relações mais à frente e trazer pessoas de diferentes plataformas e comunidades", acrescentou.

Para Randi Charno Levine, o seu legado como embaixadora dos Estados Unidos em Portugal "será deixar os laços" - nos negócios, no Governo e na política - "bem apertados entre os dois países.

Sobre as suas primeiras 10 semanas no cargo e a viver em Lisboa, a embaixadora norte-americana adiantou que o seu período em Portugal "tem sido extraordinário".

"Em 10 semanas, sinto que estou cá há um ano. As pessoas são tão acolhedoras... Tenho gastado a maioria do meu tempo a tentar conhecer diferentes grupos de pessoas: do Governo, da Sociedade Civil e do ramo empresarial", afirmou.

"As pessoas têm sido abertas e tão acolhedoras que eu sinto-me muito otimista. Estarei apta para reforçar as nossas relações e reforçar as nossas parceiras entre o Governo, os negócios e a sociedade civil, em laços culturais", acrescentou.

Randi Charno Levine foi nomeada embaixadora em Portugal, em novembro de 2021, pelo Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, tendo sido confirmada por unanimidade no Senado norte-americanos em março e assumido funções a partir de abril deste ano.

A também filantropa foi Comissária da Smithsonian National Portrait Gallery em Washington, D.C., onde ajudou a organizar e expandir a coleção permanente do museu, presidiu à Gala Portrait of a Nation em 2019 e revitalizou o programa de parcerias empresariais do museu.

De acordo com uma publicação no "site" da Embaixada dos Estados Unidos, Randi Levine também foi administradora do Meridian International Center em Washington, D.C, onde presidiu ao Meridian Center for Cultural Diplomacy, orientou e liderou os programas de intercâmbio internacional, bem como o desenvolvimento de exposições, e parcerias estratégicas e comerciais.

"Também foi administradora do New Museum em Nova Iorque e membro do Conselho Artemis, onde apoiou a diversidade e a igualdade para as mulheres nas artes", lê-se.

A embaixadora foi ainda "membro do Friends of the Costume Institute do Metropolitan Museum of Art, membro do conselho do FACES no Comprehensive Epilepsy Center da Universidade de Nova Iorque e membro fundador do High Line Council. Também foi membro do conselho da Norton School of Family Consumer Science da Universidade do Arizona, do Barbara and Edward Netter Center for Community Partnerships da Universidade da Pensilvânia, e do Hamptons International Film Festival".

Randi Charno Levine estudou Jornalismo na University of Missouri-Columbia, e tem diversas obras publicadas.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+