Tempo
|
A+ / A-

Ucrânia. Número de mortos em ataque a centro comercial sobe para 18

28 jun, 2022 - 06:45 • Lusa

Prosseguem os trabalhos de resgate e remoção dos destroços.

A+ / A-

O número de mortos de um ataque de mísseis russos na segunda-feira a um centro comercial na cidade ucraniana de Kremenchuk subiu para 18, segundo um balanço atualizado das autoridades locais.

Vinte e cinco dos 59 feridos foram hospitalizados, acrescentaram as autoridades, que prosseguem os trabalhos de resgate e remoção dos destroços. O anterior balanço apontava para dez mortos e 40 feridos.

O ministro do Interior ucraniano, Denys Monastyrskiy, confirma que ainda há 21 pessoas desaparecidas.

"O ataque russo de hoje a um centro comercial em Krementchouk é um dos mais vergonhosos atos terroristas da história europeia. Uma cidade pacífica, um centro comercial normal (com) mulheres, crianças e civis normais no interior", classificou o presidente ucraniano num vídeo divulgado no Telegram.

“Foi no mínimo um ato deplorável”, declarou o porta-voz da ONU, no em reação ao bombardeamento de um shopping na cidade de Kremenchuk, na região de Poltava. “Qualquer infraestrutura civil, incluindo obviamente centros comerciais, e civis não devem nunca ser alvos”, afirmou Stephane Dujarric.

O ataque atingiu um centro comercial em Krementchuk, no centro da Ucrânia, no segundo dia da cimeira das grandes potências económicas do G7 [Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido, estando também representada a UE], nos Alpes da Baviera, no sul da Alemanha, um encontro em grande parte dominado pela guerra desencadeada pela Rússia.

A guerra na Ucrânia teve início com a invasão russa a 24 de fevereiro. A ONU já confirmou a morte de mais de 4.600 civis, alertando, contudo, que o balanço real será consideravelmente superior.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+