Tempo
|
A+ / A-

Diário de Guerra

Von der Leyen descarta possível consenso sobre embargo de gás russo na cimeira da UE

24 mai, 2022 - 20:34 • Lusa

Presidente da Comissão Europeia refere que ainda estão a ser discutidos temas “técnicos” para tentar mudar a postura da Hungria, acrescentando que “não é um tema apropriado para ser resolvido no Conselho Europeu” extraordinário a decorrer na próxima segunda e terça-feira.

A+ / A-

A presidente da Comissão Europeia insurgiu-se esta terça-feira contra as “falsas expetativas” sobre a possível aprovação de um sexto pacote de sanções contra Moscovo, bloqueado pela Hungria devido ao embargo de petróleo russo, durante a cimeira da próxima semana.

Ursula von der Leyen salientou que ainda estão a ser discutidos temas “técnicos” para tentar mudar a postura da Hungria – a decisão requer unanimidade -, segundo explicou, acrescentando que “não é um tema apropriado para ser resolvido no Conselho Europeu” extraordinário a decorrer na próxima segunda e terça-feira.

Em declarações ao meio de comunicação europeu Politico, durante o Fórum Económico Mundial de Davos, na Suíça, disse tratarem-se de “países sem litoral que precisam de um fornecimento alternativo através de oleodutos, pelo que há que falar de investimento nem oleodutos para aumentar o fornecimento”, de “refinarias que têm de ser modernizadas e de investimento e energias renováveis”.

Contudo, apontou que “há um elemento político que poderia discutir-se, ou seja, quanto os outros 26 (Estados-membros da União Europeia) estão dispostos a conceder como investimento à Hungria, mas as principais dificuldades são técnicas” e estão a ser “discutidas agora”, acrescentou.

Para adaptar os oleodutos e refinarias húngaras e de outros países para deixarem de depender de petróleo russo, a Comissão Europeia ofereceu-se a investir 2.000 milhões de euros em infraestruturas nesses países, dos quais “algumas centenas de milhões” iriam para Budapeste, segundo fontes europeias.

As declarações de von der Leyen coincidem com o envio de uma carta do primeiro-ministro húngaro, Viktor Órban, ao presidente do Conselho Europeu, Charles Mihcel, na qual excluiu a possibilidade de discutir o embargo proposto ao petróleo russo na cimeira europeia da próxima semana, uma vez que o húngaro acredita ser necessário conhecer mais detalhes acerca dos apoios ao seu país.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+