Tempo
|
A+ / A-

Guerra na Ucrânia

Diplomata russo demite-se. “Nunca senti tanta vergonha do meu país”

23 mai, 2022 - 13:05 • Marta Grosso

Conselheiro da Rússia nas Nações Unidas apresentou uma carta de demissão, na qual condena a ofensiva contra a Ucrânia. Boris Bondarev deverá ser convidado para falar em Davos esta semana.

A+ / A-

O conselheiro diplomático da Rússia nas Nações Unidas em Genebra pediu a demissão. Na carta, tornada pública, mostra-se envergonhado pelas ações do seu país na Ucrânia.

“Nunca senti tanta vergonha do meu país como no dia 24 de fevereiro desde ano”, escreve Boris Bondarev, considerando que quem defende esta guerra só tem um propósito: “manter-se no poder para sempre, viver em palácios pomposos e sem gosto, navegar grande iates à custa da Marinha, gozar de poder ilimitado e total impunidade”.

Na opinião deste diplomata, a ofensiva “é, não só um crime contra o povo ucraniano, como talvez o maior crime contra o povo da Rússia”.

Ao longo da missiva, as críticas sucedem-se, nomeadamente ao modo como o cargo de ministro dos Negócios Estrangeiros tem sido desempenhado.

“Hoje, o Ministério dos Negócios Estrangeiros não faz diplomacia. Tem uma atitude belicista, mente e fomenta o ódio. Serve os interesses de alguns, os mesmos que contribuem para a degradação e o isolamento do meu país”, escreve.

“Tenho de admitir que, ao longo destes 20 anos [de profissão], o nível de mentiras e falta de profissionalismo no seio do Ministério dos Negócios Estrangeiros tem vindo a aumentar e, nos anos mais recentes, tornou-se simplesmente catastrófico”, aponta ainda.

“Estudei para ser diplomata e sou diplomata há 20 anos. O Ministério dos Negócios Estrangeiros tornou-se a minha casa e a minha família. Mas já não posso partilhar desta ignomínia sangrenta, estúpida e absolutamente desnecessária”, conclui.



Boris Bondarev está no Ministério russo dos Negócios Estrangeiros desde 2002 e foi nomeado Conselheiro da Rússia nos escritórios da ONU em Genebra em 2019.

As Nações Unidas esperam que outros diplomatas russos possam seguir o exemplo e apresentem a demissão.

Numa reação à notícia, o presidente da Conferência de Segurança de Munique, Wolfgang Ischinger, escreve no Twitter que Bondarev deverá ser convidado a falar no Fórum Económico Mundial, em Davos, ainda esta semana.


Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • João Lopes
    23 mai, 2022 Porto 16:57
    Qualquer pessoa de bem e inteligente condena a agressão contra a Ucrânia.

Destaques V+