Tempo
|
A+ / A-

Presidente senegalês vai a Moscovo e a Kyiv em nome da União Aficana

22 mai, 2022 - 18:47 • Lusa

A invasão russa da Ucrânia dividiu os países africanos e também atingiu fortemente as suas economias, com o aumento dos preços dos cereais e a escassez de combustível, por exemplo.

A+ / A-

O presidente senegalês anunciou este domingo que vai deslocar-se à Rússia e à Ucrânia em nome da União Africana, a que atualmente preside, após um convite de Moscovo e o desejo manifestado pelo Presidente ucraniano de contactar com líderes africanos.

Macky Sall disse, numa conferência de imprensa conjunta com o chanceler alemão, Olaf Scholz, que tinha recebido um mandato da União Africana para fazer a viagem.

A Rússia tinha feito um convite para esse efeito, adiantou.

A viagem, inicialmente marcada para 18 de maio, não pôde acontecer "por motivos de agendamento", e por isso propôs novas datas, adiantou o Presidente senegalês.

"Assim que estiver resolvido, irei naturalmente a Moscovo, e também a Kyiv, e também concordámos em reunir todos os chefes de Estado da União Africana que o desejem, naturalmente, com o Presidente [ucraniano, Volodymyr] Zelensky, que tinha manifestado a necessidade de comunicar com os chefes de Estado africanos", revelou Macky Sall.

"Isto também acontecerá nas próximas semanas", acrescentou.

A invasão russa da Ucrânia dividiu os países africanos e também atingiu fortemente as suas economias, com o aumento dos preços dos cereais e a escassez de combustível, por exemplo.

O Senegal, com fortes relações com os países ocidentais, surpreendeu em 2 de março ao abster-se numa votação da Assembleia Geral da ONU a favor de uma resolução que exigia "que a Rússia deixasse imediatamente de usar a força contra a Ucrânia".

O Senegal, por outro lado, votou em 24 de março uma segunda resolução exigindo que a Rússia pare imediatamente a guerra.

Quase metade dos países africanos absteve-se ou não votou em ambas as ocasiões.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+