Tempo
|
A+ / A-

Segunda Guerra Mundial. Putin envia felicitações a líderes da ex-URSS

08 mai, 2022 - 13:24 • Lusa

"O nosso dever comum é impedir o renascimento do nazismo, que trouxe tanto sofrimento”, disse numa mensagem em que tambémn felicitou os líderes e povos das Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk, reconhecidas por Moscovo dias antes da invasão da Ucrânia.

A+ / A-

O Presidente russo, Vladimir Putin, enviou mensagens de felicitações por ocasião do 77.º aniversário, neste domingo, da vitória sobre a Alemanha nazi aos líderes e cidadãos de vários países da ex-União Soviética.

"O nosso dever comum é impedir o renascimento do nazismo, que trouxe tanto sofrimento aos povos de vários países. É necessário preservar e transmitir (...) a verdade sobre os acontecimentos da guerra, valores espirituais comuns e tradições de amizade e irmandade", disse Putin, citado pelo Kremlin.

As felicitações foram estendidas aos governos e povos do Azerbaijão, Arménia, Bielorrússia, Cazaquistão, Quirguizistão, Moldávia, Tajiquistão, Turquemenistão, Uzbequistão e às autoproclamadas repúblicas da Abcásia e Ossétia do Sul.

Putin felicitou ainda os líderes e povos das Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk, reconhecidas por Moscovo dias antes do início do conflito militar russo na Ucrânia.

O Presidente russo felicitou também os povos da Geórgia e da Ucrânia, deixando de fora as felicitações às autoridades destes países, que manifestaram interesse em aderir à NATO.

Putin desejou que as novas gerações sejam dignas da memória dos seus pais e avós que lutaram na Segunda Guerra Mundial, conhecida na Rússia como a Grande Guerra Patriótica.

Em particular, o Presidente russo dirigiu-se aos líderes das repúblicas pró-russas de Donetsk e Lugansk, salientando que neste momento os seus militares, "tal como os seus avós, lutam ombro a ombro para libertar as suas terras da imundície nazi" e expressou a sua confiança de que, tal como em 1945, a vitória estará do seu lado.

Dirigiu-se também aos veteranos da Segunda Guerra Mundial e aos cidadãos da Ucrânia, sublinhando "a inadmissibilidade de vingança por parte dos herdeiros ideológicos daqueles que foram derrotados na Grande Guerra Patriótica".

Anunciando o início da campanha militar da Rússia na Ucrânia em 24 de fevereiro, Putin disse que o objetivo desta "operação militar especial" era a desnazificação do país.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+