Tempo
|
A+ / A-

Madeleine McCann desapareceu há 15 anos e procedimento criminal prescreve

03 mai, 2022 - 12:33 • Marina Pimentel com redação

A menina, que completaria 19 anos durante este mês de maio, desapareceu do apartamento onde passava férias no Ocean Club na Praia da Luz, no Algarve, às 22h14 do dia 3 de maio de 2007.

A+ / A-

Quinze anos depois do desaparecimento de Madeleine Mccann na praia da Luz, no Algarve, prescreve o procedimento criminal.

Isto significa que não poderão vir a ser constituídos novos arguidos, mesmo que venham a ser descobertos novos indícios ou até que alguém venha a confessar o homicídio.

Há, no entanto, uma exceção a esta impossibilidade de o sistema judicial vir a acusar a partir de hoje mais alguém pelo desaparecimento da menina inglesa: Se se vier a verificar que se tratou de um rapto e se esse rapto persistir. Neste caso, o tempo para a prescrição só começaria a contar quando Maddie fosse libertada.

Essa possibilidade não é assim tão distante quanto isso, uma vez que a investigação ao desaparecimento da criança vai continuar.

Em relação a Christian Bruckner, constituído arguido há duas semana e detido na Alemanha, as autoridades têm mais sete anos e meio para reunir provas para o acusar, porque findo esse período também prescreve o procedimento criminal contra ele.

O cidadão alemão encontra-se no seu país a cumprir pena por tráfico de droga. E também foi condenado a mais sete anos por violar uma mulher de 72 anos.

O suspeito já negou o envolvimento no desaparecimento de Madeline quando esta tinha três anos.

A menina desapareceu do apartamento turístico que a sua família alugou na Praia da Luz, no Algarve, na noite de 3 de maio de 2007, retirada do quarto onde dormia com mais dois irmãos.

Após 14 meses de investigações controversas marcadas pela acusação, e depois pela exoneração, dos pais Gerry e Kate McCann, a Justiça portuguesa encerrou o processo em 2008, antes de o reabrir cinco anos depois devido a “novos elementos”.

No entanto, o caso realmente não avançou até junho de 2020, quando a Procuradoria de Brunswick disse que tinha certeza que a menina morreu, acrescentando que as suas suspeitas recaíam sobre um homem que foi detido em Kiel em outro caso.

A 22 de abril, a duas semanas do caso prescrever, o alemão Christian Brueckner foi constituído arguido pelo Ministério Público de Faro no caso de desaparecimento de Maddie McCann que completaria 19 anos durante este mês de maio.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+