Tempo
|
A+ / A-

Rússia afirma ter atacado 389 alvos ucranianos durante a noite

30 abr, 2022 - 11:32 • Lusa

Mísseis de alta precisão alcançaram quatro armazéns de munições e combustível.

A+ / A-

As forças armadas da Rússia atacaram 389 alvos ucranianos na última noite, incluindo 15 depósitos de armas e munições, disse hoje o porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov.

"Durante a noite, unidades de artilharia destruíram 389 objetivos inimigos. Entre eles, 35 postos de comando, 41 bastiões, 169 áreas de concentração de soldados e equipas militares, 33 posições de artilharia, assim como 15 armazéns de foguetes e armas de artilharia e munições", indicou Konashenkov seu relatório matutino.

Na sexta-feira, a aviação operacional tática e militar das forças aeroespaciais russas atingiu nove áreas de concentração de militares, matando mais de 20 "nacionalistas", quatro tanques e seis veículos blindados, acrescentou.

Mísseis atingiram quatro instalações militares ucranianas, dos quais dois postos de comando das Forças Armadas da Ucrânia, uma bateria de lançamento de foguetes e uma estação de radar.

Mísseis de alta precisão alcançaram quatro armazéns de munições e combustível.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou cerca de três mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A ofensiva militar causou a fuga de mais de 12 milhões de pessoas, das quais mais de 5,4 milhões para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+