Tempo
|
A+ / A-

Microsoft revela que ofensiva russa na Ucrânia inclui ciberataques

28 abr, 2022 - 03:29 • Redação

Piratas informáticos russos destruíram dados de diversas organizações e infraestruturas ucranianas, segundo um relatório divulgado pela Microsoft. Um dos objetivos é abalar “a confiança na liderança do país".

A+ / A-

A gigante tecnológica especifica que detetou ataques cibernéticos contra importantes infraestruturas ucranianas, muitos deles em simultâneo com os bombardeamentos. Esta é uma das conclusões que sobressai do relatório da Microsoft.

Já citado pela Sky News, um alto funcionário ucraniano de segurança cibernética, Victor Zhora, afirmou que “os ataques às telecomunicações, por vezes, coincidiram com artilharia e ataques físicos”.

O mesmo relatório da Microsoft adianta que, desde 24 de fevereiro, pelo menos seis grupos de piratas informáticos russos levaram a cabo mais de 200 ciberataques “destrutivos e implacáveis” contra serviços vitais na Ucrânia.

A Microsoft indica que estes ataques prejudicaram os sistemas de instituições na Ucrânia e perturbaram “o acesso da população a informações fiáveis, minando a confiança na liderança do país".

A tecnológica acredita ainda que, no futuro, este tipo de ameaça vai continuar a aumentar "à medida que o conflito se intensifica".

A Microsoft detalhou que havia detectado quase 40 ataques cibernéticos destrutivos, voltados contra centenas de sistemas, um terço dos quais foram direcionados contra organizações governamentais ucranianas em todos os níveis, desde o nacional até o local, enquanto outros 40% tinham como alvo a infraestrutura crítica do país.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Digo
    28 abr, 2022 Eu 09:24
    A Guerra Cibernética é hoje um ramo militar que quem descura, está condenado a sofrer, principalmente porque os Russos são mestres nesse tabuleiro

Destaques V+