Tempo
|
A+ / A-

Kiev pede no Conselho de Segurança justiça por crimes de tropas russas

27 abr, 2022 - 23:18

No mesmo sentido, vários diplomatas junto da ONU pediram a responsabilização criminal de cada militar que cometeu atrocidades na Ucrânia, como violações sexuais ou homicídios arbitrários.

A+ / A-

A vice-ministra das Relações Exteriores ucraniana, Emine Dzhaparova, apelou hoje no Conselho de Segurança a que as relações com a Rússia não sejam reatadas antes de ser feita justiça pelos crimes das tropas russas em solo ucraniano.

"Cada um dos soldados que cometeu atrocidades deve ser levado à justiça. Aqueles que violaram meninas e lhes partiram os dentes, aqueles que mataram ciclistas, aqueles que fuzilaram pessoas na fila do pão, destruíram maternidades. Estas pessoas têm caras e nomes e devem ser levadas à justiça", apelou Emine Dzhaparova.

"Quando o Presidente russo, Vladimir Putin, cair - e ele vai cair -, não podemos restaurar relações com a Rússia sem que seja feita justiça", acrescentou, numa reunião do Conselho de Segurança denominada "Garantir a responsabilização pelas atrocidades cometidas na Ucrânia".

No mesmo sentido, vários diplomatas junto da ONU pediram a responsabilização criminal de cada militar que cometeu atrocidades na Ucrânia, como violações sexuais ou homicídios arbitrários.

Aludindo aos vetos russos no Conselho de Segurança que condenavam a sua invasão da Ucrânia, a representante norte-americana, Beth Van Schaack, ironizou que a "Rússia não poderá vetar a sua responsabilização pelas atrocidades cometidas".

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+