Tempo
|
A+ / A-

Guerra na Ucrânia

Zelenskiy deixa aviso sobre Mariupol. Negociações de paz em risco

16 abr, 2022 - 18:23 • Marta Grosso com Lusa

A guerra na Ucrânia já matou pelo menos 2.500 soldados ucranianos e fez perto de 10 mil feridos, segundo o Presidente. Chefe da República Popular de Donetsk avisa que os soldados que fiquem em Mariupol serão eliminados.

A+ / A-

O Presidente ucraniano avisou neste sábado que "a eliminação" dos últimos soldados ucranianos em Mariupol, cercados por forças militares russas, "porá fim a quaisquer negociações de paz" com Moscovo, avança a AFP.

"A eliminação dos nossos militares, dos nossos homens [em Mariupol] porá fim a qualquer negociação [de paz]", declarou Zelensky em entrevista ao site de informação Ukraïnska Pravda, alertando que as duas partes se encontram "num impasse".


Neste sábado, em entrevista à CNN, o Presidente ucraniano tinha adiantado que já morreram entre 2.500 e 3.000 soldados ucranianos e cerca de 10.000 feridos.

Também hoje, as forças russas destruíram uma fábrica de armamento que produz tanques nos subúrbios de Kiev e oficinas de reparação de equipamento militar em Mykolaiv (sul), anunciou o Ministério da Defesa russo.

Os ataques ocorreram um dia depois de a Rússia ter avisado que iria intensificar os ataques contra Kiev, na sequência de incursões ucranianas no seu território.

Todos eliminados

Os combatentes ucranianos que permanecerem em Mariupol e se recusarem a se render serão eliminados, avisou neste sábado o chefe da República Popular de Donetsk (DPR), apoiada pela Rússia.

"Os nacionalistas – ou seja, membros dos batalhões nacionalistas – ao que parece, não têm intenção de se render, e por isso devem ser eliminados", afirmou.

Os soldados aliados da Rússia estão perto de capturar a cidade de Mariupol, no Sul da Ucrânia, mas as forças ucranianas estarão a resistir ao ataque. Nas redes sociais, há vídeos de forças ucranianas a prometer não entregar as suas posições.

Durante a semana, Moscovo afirmou que mais de mil fuzileiros navais ucranianos se renderam em Mariupol, mas a Ucrânia já o negou.

Mariupol fica no território reivindicado pela chamada DPR e é de importância estratégica para o exército russo, que procura estabelecer uma rota terrestre entre a Crimeia (a Oeste) e Donbas (a Leste).

A ofensiva da Rússia na Ucrânia foi lançada em 24 de fevereiro. Segundo as Nações Unidas, já morreram quase dois mil civis, mas o número real pode ser muito maior.

Por causa da guerra, já figuram mais de 11 milhões de pessoas da Ucrânia, mais de cinco milhões das quais para os países vizinhos.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+