Tempo
|
A+ / A-

Detido português suspeito de liderar mercado online de piratas informáticos

12 abr, 2022 - 16:54 • Ricardo Vieira

Alegado "hacker" foi detido no Reino Unido no âmbito da operação "Torniquet", uma colaboração das autoridades norte-americanas com a Europol, em que participou a Polícia Judiciária.

A+ / A-

Um cidadão português, suspeito de liderar um mercado online onde piratas informáticos vendiam dados, foi detido em resultado de uma operação internacional.

O FBI anunciou que Diogo Santos Coelho, de 21 anos, o alegado fundador e administrador do site Raidforums, foi acusado pelo Departamento de Justiça norte-americano de vários crimes, como conspiração, acesso fraudulento a dispositivos e furto agravado.

Diogo Santos Coelho foi detido no Reino Unido, a 31 de janeiro, no âmbito da operação "Torniquet", uma colaboração das autoridades norte-americanas com a Europol, em que participou a Polícia Judiciária.

Outros dois cúmplices de Diogo Santos Coelho também foram presos.

As autoridades norte-americanas pediram a extradição do alegado "hacker" português, que utilizava vários nomes diferentes na internet: "Omnipotent', "Downloading", "Shiza," e "Kevin Maradona".

A Europol anunciou o encerramento do Raidforums, considerada uma das maiores plataformas de "hackers" do mundo, que vendia acesso a banco de dados de várias empresas norte-americanas que tinham sido alvo de ciberataques.

Lançado em 2015, o 'RaidForums' tinha mais de meio milhão de utilizadores, de acordo com a Europol, e era um dos maiores fóruns de 'hackers' do mundo.

"Esta plataforma fez o seu nome vendendo acesso a bancos de dados vazados muito mediatizados de várias empresas norte-americanas em diferentes setores", acrescentaram as autoridades policiais europeias.

"Os bancos de dados têm informações sobre milhões de cartões de crédito, números de contas bancária", bem como nomes de utilizadores e palavras-chave associados necessários para aceder a contas 'online', referiu a Europol.

A operação batizada de "Torniquete" foi coordenada pela Europol que apoiou investigações nos Estados Unidos, Reino Unido, Suécia, Portugal e Roménia.

A operação foi o "culminar de um ano de planificação meticuloso entre as autoridades policiais envolvidas na preparação da ação", rematou a Europol.

Em comunicado, a Polícia Judiciária confirma que, através da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica (UNC3T), participou na investigação, que culminou com as detenções de vários suspeitos, as quais ocorreram na Europa e nos Estados Unidos.

"A Operação Tourniquet, coordenada a nível internacional pelo European Cybercrime Centre da EUROPOL, foi o culminar de um ano de investigação meticulosa que envolveu a intervenção de autoridades policiais de vários países e que permitiu identificar um suspeito português como um dos principais administradores do “RaidForums”, adianta a PJ.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+