Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Ucrânia

ONU alerta para aumento de demonstrações de ódio e violência nos Balcãs

06 abr, 2022 - 19:51 • Lusa

De acordo com Alice Wairimu Nderitu, nas últimas seis semanas, o conflito na Ucrânia deteriorou algumas dessas dinâmicas, com demonstrações de ódio, "incluindo reivindicações abertas de violência contra membros de um grupo nacional" e "apelos à religião como fonte de legitimidade para violência ou alinhamento de atividades nacionais para a causa das partes beligerantes no conflito na Ucrânia".

A+ / A-

As Nações Unidas alertaram esta quarta-feira para o aumento das demonstrações de ódio e violência nos Balcãs Ocidentais na sequência do conflito na Ucrânia, indicou a conselheira especial da ONU para a Prevenção do Genocídio, Alice Wairimu Nderitu.

Em comunicado, a conselheira expressou a sua consternação e condenação pelos alegados atos de violência cometidos pelas tropas russas contra civis na cidade ucraniana de Bucha, no qual diz haver "sinais muito graves de uma possível ocorrência de crimes de guerra", alertando ainda para o impacto dessa crise em outras regiões da Europa, nomeadamente nos Balcãs Ocidentais.

Alice Wairimu Nderitu pediu às autoridades da região que reforcem os esforços de prevenção nos Balcãs Ocidentais, à luz das preocupações e queixas existentes do "doloroso legado do passado, exacerbado pela dinâmica de deterioração associada ao conflito em curso na Ucrânia".

"Em visitas à região, muitos interlocutores aludiram a uma grave falta de confiança, a compromisso insuficiente para com a recuperação e construção de confiança por parte dos líderes políticos e espaço insuficiente para o trabalho de promotores locais da paz", lê-se num comunicado divulgado pelas Nações Unidas e que detalha a visão da conselheira especial para a Prevenção do Genocídio.

De acordo com Alice Wairimu Nderitu, nas últimas seis semanas, o conflito na Ucrânia deteriorou algumas dessas dinâmicas, com demonstrações de ódio, "incluindo reivindicações abertas de violência contra membros de um grupo nacional" e "apelos à religião como fonte de legitimidade para violência ou alinhamento de atividades nacionais para a causa das partes beligerantes no conflito na Ucrânia".

A conselheira especial observou que os Balcãs Ocidentais, compostos por Albânia, Bósnia-Herzegovina, Kosovo, Macedónia do Norte, Montenegro e Sérvia, continuam a ser de importância crítica para os principais intervenientes, cujos interesses geoestratégicos se encontram nesta região.

Contudo, a conselheira da ONU enfatizou que a principal fonte de divisão continua a partir do interior da região e não do exterior e que, portanto, os esforços mais sólidos de mitigação de riscos também precisarão de partir da própria região.

"A este respeito, sublinhou a necessidade de dar prioridade às iniciativas de reforço destinadas a aproximar as pessoas numa região onde muitas vezes [as pessoas] são separadas", conclui a nota das Nações Unidas.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+