Tempo
|
A+ / A-

Alemanha pede reforço das sanções económicas contra a Rússia

03 abr, 2022 - 15:26 • Lusa

O ministro da Economia da Alemanha, Robert Habeck, fala em "terrível crime de guerra" em Bucha, na Ucrânia.

A+ / A-

Veja também:


O ministro da Economia da Alemanha, Robert Habeck, pediu hoje o reforço das sanções económicas contra a Rússia, após um "terrível crime de guerra" que ocorreu em Bucha, na Ucrânia.

No sábado, foram descobertos vários cadáveres em Bucha, uma cidade no noroeste de Kiev, que foi, recentemente, recuperada aos russos.

"Este terrível crime de guerra não pode ficar sem resposta", defendeu Robert Habeck, em declarações ao jornal alemão Bild.

Perante isto, o ministro da Economia pediu o "fortalecimento" das sanções económicas da União Europeia contra a Rússia.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.325 civis, incluindo 120 crianças, e feriu 2.017, entre os quais 168 menores, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior.

A guerra provocou a fuga de mais de 10 milhões de pessoas, incluindo mais de 4,1 milhões de refugiados em países vizinhos e cerca de 6,5 milhões de deslocados internos.

A ONU estima que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+