Tempo
|
A+ / A-

ONU acusa Rússia de 24 ataques com bombas de fragmentação

30 mar, 2022 - 17:55 • Lusa

A ONU acusou as Forças Armadas russas de atacar áreas povoadas ucranianas com bombas de fragmentação, proibidas pela lei humanitária internacional, e que podem constituir "crimes de guerra".

A+ / A-

Veja também:


As Forças Armadas russas utilizaram, em pelo menos 24 ocasiões, bombas de fragmentação, proibidas pela lei internacional, contra áreas povoadas na Ucrânia desde o início da invasão, denunciou, esta quarta-feira, a Alta-comissária da ONU para os Diretos Humanos.

No decurso de uma intervenção perante o Conselho de Direitos Humanos da ONU, Michelle Bachelet referiu-se a ataques indiscriminados contra hospitais, escolas e outras infraestruturas “que estão proibidos pela lei humanitária internacional e que poderiam constituir crimes de guerra“.

A Convenção sobre munições com bombas de fragmentação, em vigor desde 2010, proíbe o uso, desenvolvimento, fabrico e aquisição deste armamento devido ao seu impacto indiscriminado entre os civis, apesar de potências como a Rússia, Estados Unidos ou a China nunca a terem ratificado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+