Tempo
|
A+ / A-

Kiev e Moscovo reconhecem que negociações de paz estão "muito difíceis"

25 mar, 2022 - 16:54 • Lusa

Ucrânia e Rússia não conseguem chegar a um entendimento. Guerra começou há um mês.

A+ / A-

As diplomacias russa e ucraniana reconheceram esta sexta-feira que as negociações estão a ser "muito difíceis" e que continua a não haver consensos nas questões mais relevantes, um mês após o início da invasão russa.

"As posições estão a convergir em pontos secundários. Mas nas principais questões políticas, continuamos afastados", disse Vladimir Medinsky, negociador-chefe de Moscovo, citado por agências noticiosas russas.

"O processo de negociação é muito difícil", disse, por sua vez, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, num comunicado, adiantando que não há qualquer "consenso" com Moscovo nesta fase das conversações.

Horas antes deste comunicado, o Presidente turco, Recep Erdogan, tinha assegurado que a Rússia e a Ucrânia haviam concordado em quatro dos seis pontos do documento de negociação, mas Kuleba rejeitou agora esse cenário.

"Não há consenso com a Rússia sobre os quatro pontos mencionados pelo Presidente da Turquia", garantiu Kuleba, saudando, no entanto, "os esforços diplomáticos" turcos "destinados a acabar com a guerra".

Medinsky explicou que Moscovo pretende um "tratado abrangente", tendo em conta as suas exigências de neutralidade, desmilitarização e "desnazificação" da Ucrânia, bem como o reconhecimento da soberania russa da Crimeia e da independência das duas repúblicas separatistas do Donbass.

De acordo com o negociador-chefe russo, a Ucrânia "está essencialmente preocupada em obter garantias de segurança de terceiros, no caso de não poder integrar a NATO", o que Moscovo considera "totalmente inaceitável".

Do lado da diplomacia ucraniana, há agora a esperança de que a Turquia e outros países permaneçam "interessados em restaurar a paz".

Depois de terem começado com reuniões físicas entre delegações, as conversações entre a Rússia e a Ucrânia estão agora a decorrer por videoconferência, quase diariamente.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+