Tempo
|
A+ / A-

OMS preocupada com impacto dos refugiados na saúde pública

22 mar, 2022 - 12:45 • Olímpia Mairos , com Redação

De visita à Moldávia, o diretor para a Europa, Hans Kluger, defendeu que a saúde mental, doenças crónicas e doenças transmissíveis, devem ter tratamento prioritário.

A+ / A-

O impacto dos refugiados da Ucrânia nos países que os recebem, ao nível da saúde pública, é muito grande e, por isso, a Organização Mundial da Saúde defende três prioridades.

Esta manhã de visita à Moldávia, o diretor para a Europa, Hans Kluger defendeu que a saúde mental, doenças crónicas e as doenças transmissíveis, devem ter tratamento prioritário.

“A primeira prioridade é, naturalmente, a necessidade de apoio psicossocial, pois muita gente sofreu bastante. Há crianças separadas das famílias e esta é uma questão de saúde mental”, apontou.

Como segunda prioridade, Hans Kluger define as doenças crónicas, pessoas com a tensão alta com doenças cardiovasculares, com diabetes, cujos tratamentos foram interrompidos”.

A terceira prioridade da OMS vai para as doenças transmissíveis.

“Desde logo, a Covid-19”, diz o diretor da OMS para a Europa, assinalando que “um em cada três ucranianos tem a vacinação completa”, realçando, por isso, que há também “a vacinação de rotina a outras doenças, como o sarampo, a poliomielite, tuberculose e o vírus HIV sida”.

O diretor regional da Europa da OMS, falava em conferência de imprensa, esta manhã, na Moldávia, um país pequeno e dos mais pobres da Europa.

O responsável anunciou, por isso, que o país vai receber mais ajuda médica para apoiar não só os refugiados que chegam da Ucrânia, mas também a população moldava.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+