Tempo
|
A+ / A-

Zelensky pergunta a Israel: "Porque é que não impuseram sanções poderosas à Rússia?"

20 mar, 2022 - 17:31 • Redação

Presidente ucraniano diz que no parlamento israelita que não é possível fazer mediação entre o bem e o mal e cita a ex-primeira ministra de Israel, Golda Meir. "Nós queremos viver, os nossos vizinhos querem nos ver mortos, e eles não nos dão muito espaço para concessões.'"

A+ / A-

O presidente Zelensky discursou na tarde deste domingo para o parlamento de Israel, numa comunicação através de vÍdeo: "Vocês podem ser um intermediário entre países, mas não podem ser um intermediário entre o bem e o mal".

Ao Knesset, Zelensky alegou que a invasão russa está a ser justificada como uma "solução final" para as preocupações de segurança de Moscovo, estando o Kremlin a usar o mesmo termo que Hitler utilizou para os planos nazis de exterminar judeus.

"Todos sabem que os vossos sistemas de defesa antimísseis são os melhores", disse o presidente ucraniano ao Knesset, repetindo o pedido para que Israel forneça equipamentos militares e apoio ao país.

"É sabido que vocês podem defender os vossos interesses nacionais. Podem-nos ajudar a proteger as nossas vidas, as vidas dos ucranianos e dos judeus que vivem na Ucrânia”, identificou.

Zelensky perguntou aos deputados israelitas qual a razão pela qual “não pode a Ucrânia receber armas de Israel”.

“Porque é que não impuseram sanções poderosas à Rússia?”, perguntou ainda.

Zelensky disse que os ucranianos enfrentam um desafio parecido com o dos isarelitas. "A possível destruição total do povo, do estado, da cultura e até do nome do seu próprio país, a Ucrânia”, lamenta.

O presidente ucranaino traçou também um paralelismo entre a fundação do partido nacional socialista na Alemanha, a génese do império nazi, e a invasão russa. Ambos aconteceram a 24 de fevereiro com 102 anos de diferença, mas Zelensky teme que se nada for feito tenham consequências similares,

No início da comunicação ao Knesset, Zelensky parafrasou a ex-primeira-ministra israelita Golda Meir.

"Nós queremos viver, os nossos vizinhos querem nos ver mortos, e eles não nos dão muito espaço para concessões.'"

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+