Tempo
|
A+ / A-

NATO permanece unida no apoio à Ucrânia

16 mar, 2022 - 11:06 • Olímpia Mairos , com agências

Secretário-geral diz que cabe à Aliança Atlântica garantir que a guerra não ultrapasse as fronteiras da Ucrânia.

A+ / A-

Veja também:


À entrada para a reunião extraordinária dos ministros da Defesa, em Bruxelas, Jens Stoltenberg voltou a condenar a atuação da Rússia e garantiu que a NATO vai continuar a apoiar a Ucrânia ao nível militar e humanitário.

Secretário-geral disse que os líderes ocidentais já forneceram enormes quantidades de apoio militar a Kiev e prometem continuar esse apoio.

“O mundo está a condenar esta guerra sem sentido”, disse Stoltenberg, acrescentando que “aliados e parceiros da NATO estão a impor sanções sem precedentes à Rússia e estamos unidos no nosso apoio à Ucrânia”.

O secretário-geral da NATO lembrou ainda, que durante muitos anos, treinaram “dezenas de milhares de tropas ucranianas e fornecemos grandes quantidades de equipamentos críticos para ajudar a Ucrânia a defender o seu direito à autodefesa”.

“Desde o início da invasão russa, os aliados intensificaram significativamente o nosso apoio ao corajoso povo ucraniano, ao Governo e às forças armadas com equipamento militar, assistência humanitária e financeira e abrigo a milhões de refugiados. Hoje é ainda mais importante que todos nós apoiemos a Ucrânia”, defendeu.

Participa também nesta reunião, em Bruxelas, o secretario da defesa norte americano Lloyd Austin.

“Penso que a nossa presença aqui envia um sinal ao mundo de que estamos unidos no apoio à Ucrânia e condenamos a invasão injustificada e não provocada da Ucrânia pela Rússia”, afirmou.

Segundo Lloyd Austin, “a Ucrânia tem um Governo legítimo e soberano”, garantindo, por isso, que a Administração norte-americana apoiará a sua capacidade de se defenderem e continuará a apoiá-los.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+